Comi a esposa do meu amigo corno

Um amigo do trabalho, muito próximo, comentou comigo que teria coragem de deixar sua esposa transar com outro homem, naquele momento ele nao chegou à me convidar pra comer a mulher dele, mas deixou claro que gostaria. Um final de semana ele me convidou pra beber na casa dele. Ja era noite, bebemos várias cervejas, ele a sua esposa e eu. Por sinal ela era muito gostosa, uma loirinha com cara de safada que passou a noite toda se insinuando pra mim. Quando acabamos as bebidas ja era um pouco tarde e ele me pediu que dormisse la, que eu nao precisaria dirigir ja um pouco embreagado e poderia ficar à vontade. Sua esposa preparou o quarto de visitas pra mim. Eu estava com muito tesão, pq apesar de nao termos combinado nada, eu tinha certeza que naquela noite rolaria uma fantasia do casal que me incluiria. Eles foram para o quarto deles, e de fato eu pensei que ja estivessem dormindo.

Apesar de muito tesão, comecei pegar no sono, quando percebi a porta abrindo. Estava tudo escuro. Eu senti um cheiro delicioso do perfume dela tomando conta do quarto, ela fechou a porta e foi se aproximando da cama. Sem dizer uma palavra ela sentou-se na beira da cama e começou beijar meus pés. Foi subindo me beijando, ainda sem dizer uma palavra, tirou meu short e começou um belo boquete. Ela lambia cada pedaço da minha pica e dos meus ovos. Babava meu pau inteiro e se lambuzava toda. Ela estava completamente nua. Se colocou na posição de 69 e colocou sua buceta na minha cara. Ela havia usado algum produto nas partes intimas que era muito cheiroso e gostoso de chupar. Passei quase meia hora chupando a buceta e lambendo o cu dela.

Ela estava muito molhada que eu sentia na minha boca a buceta dela escorrendo de tesao. Sentou em cima do meu pau e comecou cavalgar. Depois pediu pra eu socar no cu dela. Era muito apertado e a vadia gemia muito gostoso. Enquanto isso o marido devia estar ouvindo do lado de fora e se masturbando. Ela me beijava loucamente enquanto susurrava no meu ouvido que queria ser minha amante puta, que seu marido queria que ela tivesse um comedor fixo. Peguei ela no Braço e comecei comer sua buceta em pé. Ela deu uma gozada e gritou alto. A coloquei de joelho e enchi a boca dela de porra. Ela bebeu tudo e ainda limpou meu pau melado. Ela deitou na cama e ficamos nos beijando. Eu me deitei de bruços e ela ficou massageando minhas costas. Ate que voltou a beijar meu corpo. Ela estava insaciável. Logo meu pau estava pronta pra outra foda. Dessa vez comi ela com força.

Bati na sua bunda enquanto estava de quarto que minha mão ficou marcada no rabão dela. Ela pediu pra ser tratada como uma puta, uma vagabunda. Ela empinou a bunda e enquanto eu metia forte nela pisava na cabeca dela e colocava meus dedos dos pés na boca dela e ela lambia cada dedo. Era a foda mais gostosa e a mulher maos safada que eu ja tinha visto. Ela adorava ser tratada ass, quanto mais eu a humilhava ela sentia mais tesao e ficava mais puta. Lambia meus dedos das mãos e pedia que cuspisse na boca dela. Ja estavamos completamente molhados de suor e eu esfregava meu pau lambuzado no rosto dela enquanto cuspia nela e ela lambia tudo. Gozei novamente no rosto dela e espalhei com minha pica. Ela ficou toda suja. Depois disso me deu um beijo de boa noite e foi pro quarto dela fuder com o marido que estava aguardando. Com poucos minutos eu conseguia ouvir os gemidos dela fudendo com meu amigo.

Sexo a três com marida da amiga e meu marido

Olá, me chamo Amanda, 24 anos, sou morena, aquele tipo de magrinha bem gostosinha, cinturinha fina, bunda empinada redondinha, peito médios durinhos e redondinhos e uma bucetinha linda, raspadinha e apertadinha, enfim, uma delicinha, e adoro uma rola.

A historia que vou contar aconteceu a um tempo, tinha 22 anos, na época era casada com um cara que nunca me deixou na mão na cama, mas como sou louca por uma rola, não resisto a dar pra outros.

Bom, trabalho com roupas, e na época meu ateliê era nos fundos da loja do Meu marido, minha amiga a Patrícia trabalhava comigo e seu marido estava quase sempre lá ajudando a gente. Seu marido era o Breno, um cara daqueles tipos cafajestes, confesso que adorava e já tinha quase dado pra ele uma vez quando Eu e meu marido tínhamos terminado por um tempo e ficou aquele gostinho de quero mais.

Algumas vezes a Patrícia saia e acabava deixando eu e Breno sozinhos por alguns minutos e ele aproveitava, soltando piadinhas, fazendo elogios essas coisas, sempre via o volume nos shorts mas não ligava, apesar de ser uma putinha louca por rola, não queria correr o risco de alguém nos pegar no flagra, pois meu marido estava trabalhando um cômodo a frente da gente.

Certo dia Patrícia saiu e iria demorar, confesso que pensei besteira por um breve momento, mas me recompus, meu marido estava ali em frente, não devo fazer bobagens, quando olhei pro Breno ele tava com uma cara de safado olhando pra mim, involuntariamente minha bucetinha ficou molhada, imaginei ele me fodendo com meu marido bem ali pertinho, mas me controlei. Então Patrícia saiu e Breno a acompanhou, minutos depois ele voltou, ficamos a sós por uns 2 minutos, tempo pra ele ficar com suas “brincadeirinhas” minha buceta já estava molhada, ja estava pensando um monte de besteiras, mas meu marido estava ali perto não podia fazer nada.

Até que meu marido veio até nós, deve ter desconfiado de algo rs, sentou ali numa cadeira do meu lado, enquanto Breno atrás dele continuava me encarando com cara de safado, ficou nessa troca de olhares por um tempo, até que meu marido me chama na hora me assustei, pensei que ele tinha percebido algo. Moramos em cima do trabalho, ele me levou até a escada e começou a falar:

-Eu percebi essa troca de olhares sua com o Breno.

Na hora me assustei pensei que ele ia brigar. Mas aí veio minha surpresa, e era tudo que tava querendo aquele momento.

-Quer dar pra nós dois? ele perguntou.

Na hora tive um choque, mas minha buceta ja tava melada, tava querendo pica, duas então… Aceitei a proposta e perguntei:

-Como vamos fazer?

Ele me levou pra casa, me beijou de um forma bem safada, tirou meu vestidinho e minha calcinha minúscula me deixando peladinha, me sentou no sofá e deu uma chupada na minha buceta, que ja tava piscando, querendo rola, fiquei louca, um tesão que nunca tinha sentido, ele parou e falou:

-Agora espera um pouco.

Uma dp bem safadinha com o marido da amiga e meu marido

Com um sorrisinho safado estampado na cara e desceu. Enquanto ele não voltava fiquei me masturbando, já tava louca aquele momento, até que escuto passos na escada, não parei de tocar minha buceta, pensei que era meu marido, quando percebi era o Breno, com uma cara de surpresa e felicidade ao mesmo tempo, esbouçou falar algo, mas mandei ele se calar e vir até mim, logo ele veio, já tava subindo pelas paredes, fui logo pegando aquele pau, devia ter uns 22cm e grosso, enquanto esfregava minha buceta, logo Breno estava com o pau duro feito rocha, sei que era isso que ele queria a tempos, coloquei aquela rola pra fora do short e abocanhei com vontade, mau cabia na minha boca mas mamei com vontade.

Quando abri o olho meu marido já estava com o pau pertinho da minha cara, o tesão era tanto que nem percebi ele chegando, quando vi essa cena, duas picas na minha frente, aí que fiquei louca mesmo, abocanhei a rola do meu marido também, que era uma delicia um pouco menor que a do Breno, uns 19cm mas grossa do mesmo jeito. Fiquei me sentindo uma atriz pornô rs, tava adorando aquilo, fiquei alternando a mamada, enquanto chupava um, punhetava o outro, e batia com as duas rolas na minha cara, tava me divertindo, quando meu marido me coloca de quatro no sofá, e ajeita a rola na portinha da minha xota, que a essa altura ja estava totalmente molhada.

Ele forçou um pouco, no começo foi apertada, mas entrou fácil, por estar bem molhadinha, ele meteu tudo, senti a pica la no fundo da minha bucetinha, ele começou a socar forte enquanto me chamava de puta e eu retribuía dizendo:

-Vai fode tua putinha, soca nessa buceta vai!!

Isso deixava ele mais louco, metia com mais vontade ainda, enquanto isso tava com a rola do Breno na boca, mamando muito, soltava uns gemidinhos abafado pela rola na boca, as vezes parava de chupar pra gemer mais, mas logo começava mamar de novo, até que senti as pernas tremer, a minha bucetinha começou a contrair e apertar o pau dele, e eu gozei muuuuito gostoso com uma pica na xota e outra na boca.

Até que meu marido tirou o pau da minha buceta que ficou toda meladinha ainda, então me deitei no sofá com as pernas bem abertas, pq agora ia ter a pica que tanto queria, meu marido veio pro meu lado, logo abocanhei a rola dele, ainda com o gostinho da minha xota, e comecei a chupar, chupava com vontade. Então Breno ficou entre minhas pernas, fiz questão de ficar mais aberta possível pra receber aquele pauzão, até que ele meteu, entrou fácil, meu maridinho deixou a passagem perfeita pra pica do Breno, toda meladinha e arrobadinha.

Então ele começo a bombar forte, fazendo aquele barulho da pelve batendo na minha buceta, aquela rola preenchia minha buceta toda, sentia la no fundo, até parei de mamar a rola do meu marido pra gemer alto recebendo aquelas bombadas deliciosas do Breno, ele parecia estar com vontade de me foder a tempos, a cada socada mais minha buceta molhava, voltei a chupar meu marido quando senti que ia gozar de novo, então gozei, dessa vez mais forte, gemendo alto, com o Breno me chamando de puta, com a rola até o talo na minha buceta, já tava tremendo de tanto pirocada, aí veio a parte mais gostosa, Breno tirou o pau todo melado do meu gozo da minha buceta, meu marido sentou no sofá e me puxou pra cima dele, logo fui bem obediente, sentei e ajeitei o pau dele na portinha na minha buceta.

Deslizei até embaixo, sentindo aquela rola gostosa preencher minha buceta mais uma vez, rebolei um pouco, então meu marido pega minha bunda e abre meu cuzinho, que já estava pedindo rola também, olhei pra trás com cara de putinha pidona pro Breno, logo ele entendeu o recado, se ajeitou atrás de mim, lubrificou meu cuzinho com saliva, o pau dele já tava todo melado da minha xota ainda, então ele ajeitou aquela rola na portinha do meu cú, e forçou, foi difícil pra entrar tava apertadinho, quando passou a cabeça rebolei um pouco pra ajudar a entrar.

Tava doendo um pouco, mas tava uma delicia, sentir duas rolas ao mesmo tempo, até que ele forçou mais um pouco e a pica entrou toda, delirei essa hora, meu cuzinho foi se acostumando com aquela rolona e Breno começou a socar com mais velocidade, enquanto eu rebolava na piroca do meu marido, Breno meteu com mais força, tava gemendo feito louca, adorando sentir aqueles dois paus, Até imaginei mais uma rola pra mim chupar aquele momento rsrs. Ele continuo bombando forte:

-Toma sua puta, gosta de rola nesse cu né sua safada? Breno falou.

-Sim, mete, adoro uma pica no meu cuzinho, fode com força, vai. Respondi.

Enquanto meu marido metia na minha xota, chupando meus peitos, dava tapinha na minha cara e me chamava de puta.

-Era isso que Minha putinha queria né?! vai safada se acaba.

Até que senti minha buceta apertar a rola do meu marido, comecei a gemer mais alto:

Vai fode com força, vou gozar.

Breno bombou mais forte ainda, e eu gozei feito louca de novo, sentindo duas rolas rebolei um pouco, Breno tirou a rola, eu sai de cima do meu marido e sentei no sofá, os dois ficaram em pé na minha frente, peguei as duas picas com vontade, e comecei alterna, mamava um e punhetava o outro, até que os dois começaram a ficar mais ofegantes, começaram a bater uma punheta e gozaram litros na minha cara, nos seios, engoli o que pude, fiquei toda cheia de porra, bateram com as rolas na minha cara, eu chupei os dois mais um pouco e cai no sofá, totalmente fodida, com as pernas bambas, toda arrombadinha e cheia de porra, meu marido sentou do meu lado, Breno se vestiu e saiu, sua mulher estava perto de chegar.

-Gostou amor? meu marido perguntou.

-Amei, vamos repetir mais vezes? Eu respondi.

-Vamos sim, minha putinha…

Bom esse foi o conto espero que tenham gostado. Eu adorei a situação, agora vou me “aliviar” um pouco, fiquei toda meladinha escrevendo e lembrando disso rsrs…

Comeram meu cuzinho virgem no banheiro da balada

Oi, meu nome é Clara, tenho 19 anos e vou contar um relato curtinho de como eu perdi minha virgindade anal numa balada com um amigo. Eu fui com uma galera da faculdade para uma balada, tinha um cara lá chamado Igor, que eu tinha um crush, ele era magrinho, branquelo, com cara de nerd e confesso que sempre curti esse tipo de cara, mas só a cara de nerd, porque na hora da pegação eu curto que o cara seja bem safadinho e o Igor faz esse tipo.

Combinei com minhas amigas o horário da balada bem animadinha, a gente ia comemorar o aniversário de uma colega rica em uma casa de shows que o pai dela fechou só pra esse aniversário. A garota tava fazendo 21 anos e queria uma big festa. Na hora marcada fui com duas amigas, a Juliana e a Paula, que vieram me buscar de carro. Eu já tinha transado com um ex namorado e depois que dei minha bocetinha pela primeira vez fiquei viciada, mas morria de vontade de fazer anal e tinha medo. Eu já tinha tentado, mas doía demais, meu cu é bem apertadinho.

Contos de fetiche: Comeram meu cuzinho virgem no banheiro da balada

Eu fui com um vestido preto bem justo, uma calcinha fio dental, daquelas de renda que ficam bem atoladinhas no rabo. Eu não queria nada marcando minha roupa naquela noite. Assim que cheguei vi o Igor, eu notei ele babar na minha roupa decotada. Eu sou uma morena baixinha, mas bem gostosa, sou morena de cabelos longos que chegam na cintura e na hora da foda adoro quando o cara me pega por eles.

Eu comecei a beber, Meu amigo se aproximou e a gente começou a conversar, até que fiquei muito bêbada e com a boceta piscando. Parece que quando a bebida entra, o fogo aumenta e eu queria muito foder. De repente a gente começou a ficar, ele me deu um beijo gostoso, enfiou sua língua molhada e quente na minha boca, minha xaninha começou a dar sinal de vida, minha calcinha ficou ensopada de tão molhadinha que eu fiquei só com aquele beijo.

Senti a pica dele ficar dura encostada na minha boceta, ele sem aguentar me chamou pra um canto mais escurinho e começou a passar a mão na minha bunda e passar os dedos pelo reguinho, empurrando meu vestido com tudo para a entrada do meu rabo. De repente alguém passou e pegou a gente no flagra, por isso ele me chamou para ir ao banheiro Masculino. Fiquei meio nervosa mas topei ir, chegando lá ele tirou meu vestido com pressa e já foi caindo de boca nos meus peitos, que estavam com os bicos durinhos de tesão. Ele chupou com tanta força que deixou uma marca e bem dolorido, mas eu adorava isso.

Ele rasgou minha calcinha e me fez sentar gostoso

Ele rasgou minha calcinha, olhou pra mim e deu uma cheirada boa, dizendo que o cheiro da minha boceta molhada era maravilhoso. Quando ele abriu o zíper e botou o pau pra fora, tomei um susto com a grossura. Era uma pica de tamanho normal, mas era bem grossa, na hora que fui chupar mal cabia na minha boca, mas mesmo assim engoli, fiquei sufocada, com a boca dolorida mas adorei aquela rola gostosa pulsando na minha boca. Eu deixei o pau dele todo babado de tanto mamar, chupei seu sacão gostoso, lambi, fiquei louca, me deliciei com aquela pica.

Ele tava com o pau duro demais, e eu sem aguentar, já tava doendo de tanto tesão, pedi pra ele me comer, ele me pegou pela cintura e disse pra eu sentar em sua rola. Sentei com vontade, minha boceta escorregou inteirinha naquele cacete e ele soltou um gemido gostoso, apertou minha bunda com força e me fez rebolar enquanto mamava meus peitos deixando várias marcas.

Ele me fazia rebolar na sua rola, minha boceta já tava toda arrombada, eu tava dolorida de tanto cavalgar naquele pauzão e toda hora entrava alguém no banheiro, aumentando ainda mais o meu tesão pela aventura que era aquilo, ele puxava meu cabelo, me chamava de vadia gostosa e quanto mais me xinga, mais excitada eu fico.

Se minha boceta tava dolorida, ainda ia ficar mais arrombada porque ele pediu meu cuzinho, logo falei que nunca dei, mas isso deixou ele mais animado, sabe como é homem né? não aguenta ficar sem um cu. Ele insistiu tanto que pra não quebrar o clima aceitei, mas pedi que ele colocasse devagar tá? Se eu não tava aguentando aquele pauzão na frente, imagina no meu cu virgem?

Ele me pediu pra ficar empinadinha, fiquei apoiada na descarga do vaso, ele passou a lubrificação da minha boceta no meu rabo, deixou meu cu bem molhadinho e enfiou um dedo. Eu senti muita dor e não consegui relaxar, mas ele sabia como fazer gostoso, começou a me masturbar com uma mão enquanto enfiava o dedo no meu cuzinho, que engolia o dedo dele inteirinho.

Ele ficou ali brincando com minha xaninha e com meu cuzinho, até eu ficar bem relaxada, mais molhadinha ainda e aí passou a cabeça do pau, me fazendo tremer inteira de tão nervosa que fiquei. Meu coração disparava, eu tava bem ansiosa e nervosa pela Minha primeira vez dando o cu. Ele empurrou devagar até que seu pau entrou todinho no meu rabo. Tentei empurrar ele, tava sem aguentar a dor, mas ele não parou, disse que ia ficar gostoso, que era só eu relaxar, aí ele foi metendo devagar enquanto me masturbava e isso me ajudou a deixar meu buraquinho mais relaxado, ele metia, me chamava de gostosa, disse que nunca comeu um cu apertadinho como o meu e que eu era uma delícia.

Logo comecei a curtir e ele foi aumentando as estocadas, metendo forte, fazendo descer lágrimas dos meus olhos de tanta dor, mas eu também tava sentindo prazer nisso. Ele ficou um tempão Comendo minha bundinha e quando terminou tirou uma foto pra eu ver o rombo que ele deixou. Tirou até sangue do meu rabo, mas depois ele terminou de me comer e gozou no meu cuzinho, encheu de porra e ficou escorrendo tudo até minhas coxas. Essa foi a melhor foda da minha vida, apesar de eu ter ficado dias toda arrombada sem conseguir sentar direito.

Minha esposa fodendo com o garçom do hotel

Mais um relato real que aconteceu comigo e minha esposa em uma viagem que fizemos a Brasília. Hospedamo-nos em um hotel da asa sul, com piscina no terraço. Como tivemos que ficar o final de semana e estava um calor enorme, minha esposa Elisa resolveu pegar um bronze e me convidou para subirmos até a piscina. Ela vestiu um minúsculo biquíni branquinho, uma saída comportada e subimos. Não havia nenhum hóspede na piscina. Ela tirou a saída e ficou deitada em uma cadeira de praia, com a bunda para cima. Mostrando aquela delicia de bunda, redondinha, durinha e com o fio dental atolado no rego da bunda. Chamei um garçom para nos atender.

O Roni é um homem de uns 30 anos, bem simpático e na hora que veio com nosso drink, ficou doido com a visão da bundinha de minha mulher, que notou logo. E quando ele saiu me disse: Você viu amor? Ele quase me comeu com os olhos e não é de se jogar fora. Você já está pensando besteira não é amor? Não se satisfez com nossa trepada a noite? Você me deixou com mais tesão ainda amor. Acho que vou querer outro homem pra me satisfazer bem gostoso. Acho que vou providenciar pra você, quero mesmo mais um chifre. O nosso clima já era de puro prazer. Ela estava divina, deitada daquela maneira. Loira, bronzeada, linda, cochas grossas e lisinhas, seios durinhos, muito sensual e provocante. Molhou-se, virou de barriga para cima, com o biquíni molhado dava pra ver o escurinho dos pêlos cortados com uma mecha na vertical.

Pediu-me que chamasse o garçom, que veio de prontidão. Ela pediu outra dose, ele voltou e ao entregá-la, se demorou apreciando aquela formosura em sua frente. Fui para o balcão do barzinho e puxei conversa com ele. Minha esposa se levantou e veio onde eu e o garçom estávamos conversando, foi ao banheiro, se rebolando e o Roni não tirava os olhos dela. Quando ela retornou, passou do meu lado. Eu passei a mão na bunda dela e disse: Gostosa. Ela saiu rebolando e eu olhando pro Roni que estava olhando pra bunda da minha esposa disse: – Você não acha que ela é gostosa? – Já que é o Sr. que está falando eu vou concordar. – Mas você acha que ela é gostosa ou muito gostosa? – Se o Sr. não achar ruim, eu acho ela muito gostosa e vendo ela tomar sol com esse biquíni, eu cheguei a ficar de pinto duro. – Amigo minha mulher além de ser muito gostosa também é muito tarada, tem um fogo que eu não consigo apagar. É muita mulher para um homem só, eu não dou conta sozinho de apagar o tesão dela, tenho que repartir com os amigos. Ele deu um sorriso de alegria e disse: – E eu sou seu amigo, não? – Claro que é, e por isso eu gostaria que você fosse fazer uma visitinha no nosso apartamento.

Ele concordou e eu fui contar pra mina esposa que ficou toda contente. Fomos para o nosso quarto e minha mulher estava ansiosa para que ele viesse logo. Ele tocou a campainha, abri a porta, ficou em pé na porta, me sentei ao lado de minha mulher, que estava ainda de biquíni e eu de cueca. Começamos dar uns amassos, quando vi o Roni parado olhando, acenei com a mão o chamando pra junto de nós. Ele chegou meio sem jeito. Peguei em sua mão, conduzi na bunda da minha esposa e disse:
– Sente como é durinha a bunda dela, passa a mão e sente a maciez.
Ele começou a alisar a bunda da minha esposa e em poucos segundos já abraçou ela por traz.
Olhou pra mim e disse:
– Cara que loucura, eu nunca fiz isso, mas já estou gostando.
– Então aproveita que ela é sua.

Ele encoxava ela por traz e eu pela frente, quando ela olhando pra mim disse:
– Amor estou sentindo uma coisa dura crescer na minha bunda.
– Veja amor, ta ficando duro o pau do Roni no teu rabo.
– Ta, estou ficando molhadinha em sentir o pinto dele na minha bunda amor. Tira a roupa Roni, pra nós podermos ver o tamanho do seu pinto.
– Você quer que eu tire a roupa dele, pra você ver o tamanho do pau que vai te comer? (falei isso pro Roni ir se acostumando com a minha passividade). – Quero amor. Tira a roupa Roni, tira logo.

O Roni estava meio assustado com a situação, mas entrou na brincadeira numa boa. Eu fui abaixando, beijando minha esposa nos seios e aproveitei pra tirar a parte de cima do biquíni dela. Beijei a barriga e fiquei de joelhos, abracei suas pernas e as pernas do Roni junto, forçando ele ao encontro dela, continuando a beijar a buceta da minha esposa por sobre o biquíni, notei que ele estava tirando as roupas e minha esposa vendo a dificuldade, tirou o corpo de lado. foi ajudar e tirou a roupa dele:
– Olha o tamanho do pinto que vai dar prazer a vocês.
E ajudou-me a tirar sua cueca, saltando um belo pinto de 21 cm bem na altura do meu rosto, minha esposa quando viu ajoelhou ao meu lado e começou a acariciar aquela rola dura. Deu uma lambidinha e colocou na boca. Sugou com gosto e eu ali ajoelhado bem ao lado da minha esposa, a vendo mamar aquele pauzão.

Ela tirou o pau da boca, olhou pra mim e disse:
– Te amo meu corninho.
E me deu um gostoso beijo de língua, daqueles bem molhados e eu senti o gosto do pau do Roni na boca da minha esposa. Depois ela continuou mamando e eu fiquei beijando o rosto dela e acariciando seus seios. Fiquei por traz dela e acariciava todo o seu corpo. Enfiei minha mão por debaixo de seu biquíni e ela gemeu. Senti que a sua buceta estava encharcada, desamarrei o lacinho do biquíni e tirei a única peça que ainda cobria o corpo da minha esposa. Estávamos todos pelados.
– Amor experimenta o pau que vai comer a sua mulherzinha, sente na tua boca o que eu vou sentir na minha bucetinha.
Guiando a pau do Roni pro meu lado, eu coloquei ele na boca e comecei a mamar aquele pau que mal cabia na minha boca:
– Além de corno, você é viado?
Minha esposa respondeu:
– Ele só é viadinho pros machos que vem me comer. Veja como ele chupa gostoso, que boquinha gulosa meu marido tem.
Minha esposa ficou dividindo o pau do Roni comigo por uns cinco minutos, lambíamos, chupávamos, engolíamos até a garganta, chupávamos o saco, batíamos na cara, fizemos uma festa com aquele pintão.

Quando sentíamos que ele iria gozar, parávamos de chupar e falávamos putaria um pro outro, assim:
– Vai corno, mama no pau que vai comer a tua esposa.
– Eu mamo mesmo neste pintão gostoso, quero deixar ele bem duro, pra enfiar lá no fundo do teu útero.
– Viadinho boqueteiro, é disso que você gosta não é meu corninho?
E assim ficamos, até o Roni anunciar o gozo. Foi um rio de porra. O primeiro jato acertou o olho da minha esposa, o segundo pegou no nariz e os demais foram pelo seu rosto, que ficou todo melado de porra. Eu também recebi porra na boca, depois ficamos nos beijando e trocando a porra do Roni de boca. Também chupamos o pau do Roni pra deixá-lo bem limpinho. Ele se vestiu e saiu do quarto super satisfeito da chupada que ganhou. Demos uma descansadinha e comemos um lanche para recompor as energias.

Depois fomos nos relembrar do acontecido e demos aquela trepada. No domingo tivemos novamente a visita do Roni, mas o final da história vou deixar pro próximo conto, pra não ficar muito comprido. Me aguardem.

Traindo o noivo com quatro

Primeiramente vou me descrever. Sou alta, tenho 1,75 mts. Peso 68 kg, morena clara, cabelos longos. Tenho 26 anos. Tenho um relacionamento bom com o meu noivo. No entanto, tenho uma fantasia que é de transar com dois ao mesmo tempo, fazer uma dupla penetração incrível. Deve ser muito gostoso, pois sempre que o meu noivo me come com a sua pica e usa um vibrador para colocar no meu cú, é uma delícia. Eu vou ao céu. É extremamente maravilhoso.

Vou relatar algo que aconteceu comigo recentemente. Num final de semana que o meu noivo foi viajar com a sua família eu fiquei sozinha. Então o meu noivo falou para eu ficar em casa e me comportar, no entanto, quando chegou o sábado à noite eu estava com o maior tesão, havia acabado de falar com o meu noivo pelo telefone e ele ficou me dizendo diversas safadezas, para quando voltasse, nós faríamos. Isto me deixou doidinha de tesão. Como eu estava toda acesa resolvi dar uma saidinha, afinal de contas, queria refrescar um pouco a minha cabeça e não sentir tanta falta do meu noivo. Então me arrumei, coloquei um vestidinho preto de alcinhas largas, que demonstra bem os meus peitos, é um vestido que deixa a mostra quase toda a minha coxa, é muito curto. Não coloquei sutiã, coloquei apenas uma calcinha fio dental. Eu estava pensando, vou desta forma, pois assim deixo os homens acesos. Gosto muito quando os homens ficam de pica dura para me comerem, eu adoro ver os caras querendo me foder. Gosto de ficar olhando a pica deles dura de tesão para meterem dentro de mim.

No entanto, nunca traí o meu noivo. Então resolvi dar uma ida ao shopping que tem há umas 8 quadras de casa. Fui lá. E quando estava passeando por lá, diversos caras ficaram me encarando. De vez em quando um chegava perto de mim e falava “Gostosa”, “Gatinha”. Isto foi me deixando mais acesa ainda. A minha xoxotinha estava melada de tesão. Mas eu sabia que não poderia trair o meu noivo, coisa que nunca fiz. Eu resolvi tomar um refrigerante na praça de alimentação, pedi e sentei-me em uma mesa sozinha. Nesta hora eu ficava olhando os homens que passavam perto da minha mesa e lançavam olhares para o meu peito e coxa. Esta situação foi me deixando cada vez mais molhada.

E eu só pensava: “Cadê o meu noivo para me foder gostoso, quero sentir uma pica me arreganhando toda”. Infelizmente teria que esperar mais dois dias para ele voltar. Nisto, dois caras chegaram em mim e perguntaram se eu estava sozinha. Eu disse que sim (isto foi o meu deslize). Aí eles prontamente se propuseram a fazer companhia para mim. No fundo eu até gostei, pois os dois eram bem gatos. Os dois eram morenos claros, de mais ou menos 1,80 mts de altura e eram bem gostosos. Ficamos conversando eu falando que era noiva e eles ficaram falando para mim o que uma gata como eu está fazendo sozinha no shopping. Eles foram pedindo umas batidas em um barzinho que tinha na frente de nossa mesa. Eu acabei tomando um pouco, fazendo com que eu ficasse alegrinha.

Já devia ser umas 22:30 hs. quando um deles pergunta para mim se eu estava a pé. Eu respondo que sim. Então eles se propõem a me levar. Nisto chega mais dois amigos deles (também morenos claros e muito bonitos) e vêm junto conosco. Eu fico preocupada, mas acabo aceitando, pois já estava tarde e seria mais perigoso voltar a pé. Quando entramos no carro, entra um no banco de trás eu vou logo em seguida e um outro senta ao meu lado, fazendo com que eu ficasse bem no meio de dois gatos. Assim que saímos do shopping, eles falam que querem dar uma volta pela cidade. Eu falo que preciso ir embora, no entanto, eles falam para eu aproveitar, pois querem curtir e mostrar a diversão para mim. Falaram para eu aproveitar que eu estava sozinha.

Bom, não havia muito para eu fazer, então acabei aceitando. Nisto um dos caras que está do meu lado encosta a sua coxa na minha e fica roçando. Aquilo foi me dando um cala frio e ao mesmo tempo que dava medo, dava um tesão enorme. O outro também começou a chegar mais perto de mim. Eu com aqueles quatro gatos não sabia ao certo o que fazer. Eu estava muito preocupada, pois nunca havia traído o meu noivo. Deu para perceber que os dois que estavam ao meu lado estavam com a pica dura, dava para ver a saliência que estava na calça deles, e pelo visto deviam ser umas rolas bem grandes, pelo volume que se formou. Eu já estava toda molhada com aquela situação. Já não agüentava mais, mas também não podia trair o meu noivo.

Nisto um deles se encosta em mim e fala para mim que eu sou muito gostosa e que tenho um corpo delicioso, acrescenta ainda que gostaria de me comer bem gostoso. Isto me abalou, não falei nada, apenas fiquei vermelha. E o outro me chama e fala que gostaria de meter a pica dele dentro de mim. Nossa tudo isto estava me deixando maluquinha. A minha xoxota já estava toda molhada, só pensando em uma rola para fodê-la.

Então, viram que eu não reagi e começaram a passar a mão sobre a minha perna. Já não sabia mais o que fazer. Então um deles foi levantando o vestido e eu até tentei impedir, mas o tesão foi mais forte e acabei cedendo, não pude impedir. Então ele levantou o meu vestido e começou a acariciar a minha xoxota sobre a calcinha toda molhada. Ao mesmo tempo dizia que eu tinha uma xoxota deliciosa e que estava molhadinha de tesão. Nisto o outro que estava ao meu lado pegou a minha mão e colocou sobre a sua rola que estava duríssima de tesão. Nossa que pica gostosa. Neste momento já nem pensava mais em meu noivo. Só estava me deliciando com tudo aquilo. Nisto, o que estava dirigindo, percebeu o que rolava e falou: “Vamos para um lugar mais sossegado foder e deixar esta putinha toda arreganhada”.

E nos levou para um loteamento novo, onde nem existia luz. Nisto eu já estava acariciando as duas picas por cima da calça. Um deles falou, comam vocês dois primeiro que eu e ele vamos depois. Então eles desceram do carro e ficaram esperando. Eu comecei a tirar a pica deles para fora. Nesta hora pude ver o quanto à pica deles era boa. Eram grossas e grandes. Uma delícia para sentir. Um deles foi tirando o meu vestido e me deixando toda peladinha. E o outro aproveitou e tirou a minha calcinha, enquanto o outro chupava os meus peitos. Fiquei pelada para aqueles dois garotões deliciosos. Um deles fala para eu chupar a pica dele. Eu me deito um pouco e começo a chupar a pica que mal cabia na minha boca. Estava uma delícia sentir aquela pica inteirinha na minha boca. O outro ficou chupando a minha xoxota por trás, e de vez em quando lambia o meu rabo. Nossa que maravilha.

E o que estava me chupando, começa a passar na minha xoxota. Aquilo estava me deixando louquinha. Já não agüentava mais de tesão. Então eu falei coloca logo a camisinha e mete esta rola em mim, e ele ficou só passando na minha bucetona molhadinha de sexo. Ele falou que estava sem camisinha e o outro também disse que ninguém tinha. Nisto fiquei triste e falei que iríamos somente brincar. Mas, o tesão era tão grande que o que estava passando a vara na minha xana, não agüentou e acabou metendo dentro de mim. Na hora levei um susto e ao mesmo tempo um alívio, pois estava sentindo uma rola me arreganhando toda. Falei para parar, no entanto, ele não parou e começou a bombar mais forte na minha xoxota. Acabei cedendo e deixei ele meter dentro de mim bem gostoso. Nisto fiquei chupando o outro. Até que ele falou que queria meter também.

Então fiquei de quatro para ele, ele abriu a porta e começou a meter dentro de mim, enquanto chupava a outra pica. Nossa estava uma delícia sentir aquela pica me arreganhando toda. Eu estava adorando ser arrombada por uma pica grande e grossa, pois a do meu noivo é pequena e não me completa. Nisto os que estavam fora, vendo a minha bunda toda para fora, também quiseram meter. Aí eles fazem uma fila e cada hora é um que mete na minha xoxota. Nisto o mais gato fala para eu sentar-me na pica dele e cavalgar gostoso nele. Eu saio do carro, ele se deita no chão e eu vou sentando na pica dura, grande e grossa dele. Nossa foi uma delícia, pude sentir cada milímetro daquela vara me arreganhando toda. Eu sempre tive vontade de foder e arreganhar a minha xoxota para um cara bem gostoso e com uma pica deliciosa. Eu estava totalmente louca de tesão.

Enquanto eu cavalgo, os outros vêm na minha frente e eu fico chupando hora a pica de um hora a de outro, e enquanto não chupo, vou punhetando cada uma delas. Eu estava me sentindo uma verdadeira putinha no cio. Nisto este cara fala que quer foder o meu rabo. Eu mais do que depressa, disse que sim, que ele poderia colocar a rola dele dentro de mim, comer o meu cú, que até este dia só pertencia ao meu noivo. Então, ele me coloca de quatro e começa a meter bem de leve, e como eu estava toda melada de tesão, facilitou a entrada daquele mastro no meu rabo. Senti, no começo um pouco de ardência, mas depois passou e comecei a sentir o maior tesão. Os outros também querem e começam a se revezar, cada hora era um comendo o meu rabinho. Até que um deles fala para eu sentar na pica dele que eu iria sentir uma dupla penetração. Na hora fiquei com medo, pois as picas deles eram todas grandes e grossas, pensei que não iria agüentar. Eu sempre tive vontade de fazer isto, então acabo aceitando.

Sento na pica de um deles e começo a cavalgar, quando um outro vem por trás e começa a colocar no meu rabinho. Nossa que delícia. Estava uma sensação maravilhosa, sentia sendo arrombada na minha xoxota e no meu rabo ao mesmo tempo. Que delícia! Era bem melhor do que ter uma pica dentro da xoxota e um vibrador no rabo. Nossa aqueles quatro caras estavam me deixando toda arrombada. Eu acabei não agüentando e gozei muito na pica do cara. Ele sentiu que eu estava gozando e gozou junto comigo, nossa, na hora nem pensei em engravidar, o tesão era tanto que nem deu tempo de pensar. Só sentia aquela porra quentinha dentro de mim. E nisto o outro acabou gozando também, gozou tudo no meu rabo. Foi uma delícia.

Enquanto isto, eu estava chupando a pica dos outros dois. Foi aí que os que já haviam gozado se levantaram e ficaram na minha frente enquanto eu dava para os outros dois, da mesma forma. Sentei na pica do cara e comecei a sentir o outro entrando no meu rabo. O tesão voltou rapidamente. Era delicioso sentir duas rolas me arrombando ao mesmo tempo. Uma dupla penetração é uma delícia. Eu ficava mexendo a minha bunda e eles iam me fodendo cada vez mais. E enquanto os dois me fodiam eu ia chupando a rola dos outros dois, que ficaram duras rapidinho. O que estava comendo o meu rabo acabou gozando tudo e a porra dele começou a escorrer entre as minhas coxas, pude sentir o líquido saindo de dentro de mim. E o outro também gozou, juntamente comigo, eu acabei gozando novamente, pois não agüentava de tanto tesão de ser fodida por duas picas ao mesmo tempo.

Nossa que delícia, pude sentir a porra de quatro caras se misturando dentro de mim. Aquela porra quentinha foi uma delícia. Eu estava me sentindo uma verdadeira vadia, uma puta de verdade. E nisto os outros dois acabaram gozando novamente na minha boca e rosto. Nossa isto finalizou com chave de outro, pois uma puta de verdade recebe porra na cara e dentro da boca. Foi uma delícia.

Terminamos, colocamos a roupa e fomos embora. Eles falaram que gostariam de repetir, no entanto, eu pensei e achei melhor não, pois se o meu noivo descobrir eu estou perdida. Mas foi ótimo. Todas as mulheres um dia poderiam experimentar uma dupla penetração, pois é muito bom. Parece que o atrito dentro da xoxota fica mais intenso, fazendo com que o gozo venha mais rapidamente e com mais intensidade.

Sogro safado

Olha que deprimente, esse velho filho da puta do meu sogro, comendo meu cuzinho, aqui em minha casa.

Filmei e fotografei para não ficar refém desse sacana. Com câmera escondida. Ele nem sonha com isso. Mas é agora uma arma minha. É que esse véio safado entrou no meu quarto, quando eu estava sozinha e casa, mexeu em meu zap, que estava aberto, e descobriu que tenho um amante. E ele é amigo de meu marido. Ou seja, estou traindo o filho do velho filho da puta. E ele conhece o cara. Pior é que tem ele falando que meu cu é gostoso. Meu marido nem anal faz, apesar de jovem e gostar muito de sexo. Mas na bunda ele diz que é lugar sujo. Então dou a bunda a um gato, que é amigo dele de infância e sempre deu em cima de mim, desde que eu namorava com meu marido.

Mas queria que ficasse somente entre nós, pois adoro demais dar o cu. E o puto véio leu meus textos do quanto gosto de pau na bunda. Mandou par seu próprio zap e dias depois veio em minha casa e mostrou-me tudo. Gelei e ali meu casamento estava fodido. Foi o que pensei. Ele veio questionar-me e falei que amo seu filho e que quero tê-lo sempre.

Mas que gosto de sexo anal e ele tem nojo. Que fala que de bunda si fezes e que é algo imundo. Respeito a posição dele. Mas gosto de dar o rabo mesmo. Assumi na cara do puto véio. Sem eu esperar, ele fala que sempre olhou para mim com desejo e que adora anal. Que não tem pretensão nenhuma de mostrar o zap para seu filho. Mas queria muito que eu desse a bunda para ele. Que velho nojento. Fiz um trato. Que daria somente a bunda. Sem chupadas, beijos na boca ou vaginal. Até porque estou querendo engravidar de seu filho. Ele topou. Pedi para vir no outro dia, pois tinha de sair.

Na verdade, queria colocar essa câmera escondida, para mostrar o quanto filho da puta esse velho nojento é. Ele chegou e falei que tinha de sermos rápidos. Estava doida para me livrar desse imundo. Ficamos nu e ofereci minha bunda a ele desse jeito. De joelho no sofá. Diferente do filho, que é cheio de nojinhos, o puto véio veio logo lamber minha bunda e cuzinho. Ele falou isso no dia anterior.

De propósito, ofereci meu cu pouco depois de ter defecado e ter limpado a bunda com apenas dois pedacinhos de papel. Para ele ter nojo e desistir. Meu ânus realmente estava imundo e sujinho. Pensei que ele ia sentir o cheiro e desistir de tudo, inventando uma desculpa qualquer. Enfim eu estaria livre. Que porra nenhuma. Ele abre minha bunda com as duas mão e fala que o cheiro de dentro estava maravilhoso. Filho da mãe. Cheirando cu sujo de bosta e ainda gostando.

Não parou por aí. Ele mete a língua em meu ânus, de baixo para cima e ainda enfiando. O puto véio estava literalmente saboreando minha merda. Nessa até eu tive nojo. Mas ele falava que o sabor estava uma coisa de louco, maravilhoso. Velho comedor de fezes. Filho da puta. Então saboreia minha merda, puto safado. Se fode com essa porcaria. Ele depois veio por trás, encosta o pau no meu cu. Pau até grande e grosso. Mais do que eu pensava. Imaginei que a bimba do véio era uma maria mole, murcha e pequena.

Que nada. Bem maior que o pau do filho. Doeu pra cacete ele entrando. E o pior é que gosto tanto de dar o cu que começo a sentir prazer de verdade. Vejam pela minha cainha. Não é disfarce. É prazer de puta mesmo, sentindo meu sogro tirando e botando o pau em minha bundinha. Botando chifres no próprio filhinho e sem imaginar estar sendo filmado. Confesso que, esquecendo que era o velho nojento que estava atrás de mim, com a boca fedendo a minha merda, aquele pau entrando e saindo estava me fazendo gozar e não segurei.

Gozei pra caralho, gemendo e falando que estava gostoso. Ele coloca a mão na minha buceta e sente meu mel escorrendo. O filho da puta estava se sentindo o máximo. Gozei de verdade e não nego. Mas sem pensar que era esse velho me fodendo, com boca fedendo com a minha merda. E vou fazer mais flagras com esse puto. Aguardem.

Dando o cuzinho pro namorado

Meu nome Lara, tenho 21 anos, sou ruiva, pele clara, magrinha com uns peitinhos bem pequenos e redondo, bem gostosos de chupar.
Ontem a noite eu e meu namorado combinamos de beber um pouco pra descontrair e tudo mais.  Eu em casa me arrumando, coloquei
uma calcinha bem pequena de fio dental que tem uma abertura, já estava mal intencionada desde à tarde, já pensando em uma sacanagem fodida.

Quando cheguei começamos a beber, porém meu namorado tem um filho e bem nesse dia ele estava lá, já fiquei meio frustrada mais tudo bem,
só queria foder por que estava com muito tesão, porém ficou tarde e o garoto dormiu.

Depois de um tempo, eu já pensei meu, homem tem que me foder bem gostoso hoje. Tomei outro banho coloquei a mesma calcinha e uma blusa dele
deitei e me fiz de desentendida rsrs

Estávamos deitados, ele já me olhando de cima abaixo passando a mão na minha bucetinha esfregando a mão dele pra me deixar excitada,
levantou minha blusa e ficou chupando os meus peitinhos que ele ama por na boca. Ele não se aguentou de ficar só passando vontade,
ele ficou e pé olhando pra mim bem perto da minha buceta molhadinha de repente começou a me chupar, aí ele chupava com muito vontade passava
a língua de cima até em embaixo no meu cu e voltava novamente, colocando aquele dedo dentro da minha buceta quentinha que estava até inchada de tesão.

Comecei a passar a mão naquela rola bem e preta grossa, já pedi pra ele para de me chupar antes que eu gozasse e pedi pra ele deixar eu chupar
aquele cacete dele, ajoelhei e comecei a mamar até o talo e babar feito uma doida. Amoooo demais uma rola bem gostosa na minha boca, podia ficar
chupando ele a noite toda.

Quando levantei ele já me pois de quatro na cama e colocou o pau dele na minha bucetinha bem molhada e começou a bombar e eu querendo gemer de
prazer, ele me comendo de quatro passando o dedo dele no meu cu aí que delícia. Eu já ajudei ele e coloquei meu dedo bem tolado no meu cu pra
deixar ele mais excitado ainda, ele vem e fala no meu ouvido, você vai me dá seu cu hoje né?

Eu já fiquei empolgada com a situação, amo dar o cu. E ele fodendo minha buceta com o dedo no meu cuzinho me dava mais vontade ainda.
Ele tirou o pau dele da buceta e começou a colocar bem devagarinho  no meu cu. Eu de quatro pedindo pra ele por devagar,
mais quando fui ver a rola dele já estava toda no meu cu e ele bombando devagarzinho. Olhando pra mim, começou a bombar forte e 
dava mais tesão ainda eu batendo um siririca na minha bucetinha e ele colocando o dedo dentro dela.

Ele me fudeu muito por trás e cada vez que ele bombava forte eu gozava de novo até que ele gozou toda aquela porra no meu cuzão
que estava todo arrombado

Descobrindo meu lado lesbica

Meu nome é A. tenho atualmente 44 anos sou casada desde os 21, posso afirmar que até então, fui mulher de um único homem, já tive um breve caso com um rapaz mais novo, mas nada se compara a um casamento de 23 anos com filhos.

Em relação a minha vida sexual, sempre foi tranquila, posso dizer que sou uma mulher que gosta de sexo, mas bastante moderada, sempre me acostumei a transar do modo tradicional (troca de caricias, beijos, breve preliminares e metida breve), minha pacata vida sexual nunca me incomodou. Sou advogada, tenho um escritório e acabo ficando sempre muito ocupada com a minha vida profissional.

O que irei contar hoje aconteceu há dois anos, optei por deixar passar um tempo antes de narrar esse conto para manter o sigilo. Todo começo de ano contratamos alguns estagiários para o escritório, sempre meninas e meninos que estão no começo do curso, na faixa dos 18 a 20 anos. No geral, não tenho muito contato com estagiários, mas em 2018 minha secretária pediu férias e acabou que uma das estagiárias assumiu seu lugar.

Seu nome era Anna, tinha 19 anos, uma moça bonita e bastante educada, um visual um pouco alternativo, cabelo com mechas coloridas e nunca usava maquiagem ou acessórios, mas mesmo assim era uma moça bonita. Anna rapidamente aprendeu o serviço, tínhamos bastante contato, as vezes saímos para resolver alguns negócios na rua e almoçávamos juntas. Foi assim que fomos nos aproximando, em um desses almoços quando falava de meu marido perguntei:

-E você Anna, tem namorado?

-Bom… é… como posso te explicar… na verdade não sei se você sabe, não faço questão de esconder, mas eu sou lésbica – disse Anna um pouco sem graça

Fiquei muito sem graça de ter feito essa pergunta pessoal, sinceramente não sabia, mas nesse momento fez sentido o seu jeito. Pedi desculpas pela intromissão e mudei rapidamente de assunto. O mais incrível é que quando me recordo desse dia, penso como não tinha a menor intenção ou jamais imaginava o que estaria por vir.

Passados uns 15 dias que estávamos trabalhando juntas Anna já era bem mais a vontade, brincava as vezes e me contava algumas fofoquinhas do escritório, eu a via como uma menina doce, com idade para ser facilmente minha filha.

Em um dia depois do trabalho cheguei em casa, meu marido e filhos tinham saído para ver um jogo de futebol, chamo esses dias de momentos de paz rsrs, liguei a banheira de hidro, peguei uma bela taça de vinho e entrei na banheira quente enquanto assistia algumas noticias no tablet. O ambiente estava muito agradável e fazia meses que não tinha um momento de relaxamento como aquele, para completar resolvi fazer algo que não fazia há algum tempo, peguei meu tablet e entrei em um site de pornografia.

Fui rolando alguns vídeos, vendo se algo me daria interesse, estava quase desistindo, quando apertei na categoria de vídeos para mulheres e me apareceu uma sessão inteira de vídeos de lésbicas, já tinha visto, mas não me interessado, dessa vez resolvi clicar em um deles. Vi duas meninas se beijando, se tocando, com bastante tesão, deixei o tablet no suporte ao lado da banheira, ainda passando o vídeo, podia ouvir a respiração ofegante e os gemidos das meninas do vídeo, comecei então a tocar meus seios, descer a mão no meu ventre até que alcancei meu clitóris, nesse momento fechei meus olhos e imaginei que tivesse outra garota na banheira comigo, me esfregando e me dando prazer, mas minha mente foi traiçoeira e começou a imaginar a Anna.

Como ela seria pelada? Imaginar toda aquela juventude me deixava louca, em poucos instantes senti meu corpo extasiado de tesão, a espuma facilitava o deslizar dos meus dedos. Gozei incrivelmente, mas depois confesso que fiquei um pouco com vergonha, não do meu ato, mas de ter pensado na Anna.

Bom, depois desse dia, as coisas começaram a mudar, não tinha a menor coragem de falar nada com ela, ou de propor algo, mas inconscientemente passei a trata-la melhor, elogiar seu trabalho e as vezes me pegava inclinada próxima de seu corpo apenas para sentir seu perfume. Fui percebendo que ela também se sentia mais à vontade com a minha presença. Depois de um mês, minha secretária voltou e Anna foi transferida para outro setor, tínhamos menos contato, mas as vezes ainda almoçávamos juntas. Sentia sua falta. No dia do meu aniversário, fomos uma turma do escritório comemorar em um bar próximo de lá, apenas um happy hour, meu marido não ia nessas ocasiões para não se sentir deslocado, nesse dia em particular fechamos o escritório na hora do almoço e fomos todos para esse bar, bebemos muito e nos divertimos bastante, Anna estava usando uma roupa social, que a deixava muito bonita.

Por volta das 17:00 e depois de muitos drinks resolvemos encerrar o dia, todos indo para casa, Anna veio até mim e disse que tinha largado sua bolsa no escritório, e se tinha como eu acompanha-la até lá para pegar. Disse que sim, e fomos até o meu carro. Anna estava muito alegre e bem mais soltinha, sua camisa social estava com um botão a mais aberto, pela primeira vez vi seu pequeno decote, não conseguia imaginar que aquela pestinha estava tentando me seduzir.

Quando estramos no carro fiquei procurando minhas chaves dentro da bolsa, era possível ouvir nossa respiração em meio ao silencio, me lembrei do dia da banheira e aquilo foi me deixando excitada, podia sentir meus seios pedindo para serem tocados. Quando enfim encontrei minha chaves e olhei para Anna no banco do passageiro percebi que seu olhar estava fixado em mim, ele se aproximou do meu pescoço e começou a me cheirar, suavemente, eu podia sentir o cheiro dos seus cabelos, sua mão deslizava sobre meu corpo. Não sabia o que fazer, estava imóvel, queria, mas tinha medo. Eu estava de saia social e meia calça, Anna começou a colocar seus dedos entre minhas pernas enquanto beijava meu pescoço, eu sussurrava:

-Para Anna… eu não posso… você sabe que não… para…

Ela continuava, quando fui segurar suas mãos para interrompe-la ela avançou e dedilhou minha xota, tocou no meu clitóris e percebi que não tinha como impedir aquilo, me senti como uma menina de 15 anos que fica toca molhada com o primeiro toque. Beijei-a em seus lábios macios e disse:

-Vamos para o escritório!

Ela voltou para o seu banco, abriu o zíper de sua calça e começou a se tocar na minha frente, como era bom ver aquilo. Fui a mais rápida que pude e subimos, no elevador disfarçamos para ninguém notar nada. Entramos e fomos direto pra minha sala.

Deitamos no meu tapete no chão e começamos anos beijar, rapidamente estávamos as duas nuas, estava com muita vergonha, sei que sou uma mulher bonita para minha idade, sempre cuidei muito do meu corpo, mas ver aquela juventude, os 19 anos nua, me deixava insegura, ela tinha o corpo de uma ninfa, pele macia, bem branca, sem traços do tempo, seios bem levantados e uma xoxotinha totalmente sem pelos e com lábios grandes.

Ela percebeu meu receio e disse:

-Você não tem ideia do quanto sonhei com isso, não te trocaria por nenhuma mulher do mundo nesse momento…

Me sentei na minha poltrona, ela veio se arrastando atrás, ficou de joelhos e começou a me chupar, sua língua deslizava na minha virilha, ela sabia o que estava fazendo, seus dedos suaves tocavam meus seios e ela chupava com delicadeza, eu gemia ofegante enquanto segurava firme na raiz de seus cabelos.

Depois de vários minutos voltamos para o tapete e nos beijamos, seu corpo se encaixava ao meu, como se tivesse uma atração de outro mundo. Eu chupava seus seios e beijava seu pescoço, ela respirava ofegante, enchi minha mão de saliva e passei na sua vagina, ela fez o mesmo na minha que já estava totalmente molhada. Com ela no meu colo começamos a nos esfregar, o atrito era cada vez menor, podia sentir nossas virilhas deslizando sem nenhuma dificuldade, até que chegamos na posição perfeita, o encaixe era exato, podia sentir que meu clitóris esfregava no seu. Foi inevitável, nossos corpos tremeram, nossas pernas não tinham força mais, gemíamos cada vez mais alto, quando ouvi seu gemido no meu ouvido gozei ainda mais, ficamos em êxtase por quase 3 minutos. Até que me deitei no tapete com Anna sobre o meu corpo.

Me senti realizada sexualmente naquele dia. Anna ficou todo o ano de 2018 no escritório, depois conseguiu uma transferência para faculdade na cidade de seus pais. Desde então nos encontramos apenas uma vez. Mas nada se compara a esse dia. Não me sinto a vontade de arrumar outras mulheres, jamais penso em largar meu marido, vejo isso apenas como um fetiche. Teve um dia que procurei uma garota de programa especialista em mulheres, mas não foi como a minha Anna. De toda forma, sempre incentivo a todas e todos a explorarem mais suas fantasias. Recomendo rsrs.

Arrombaram meu cuzinho

Olá meu nome é Gabriela (fictício) tenho 27 anos, sou morena, cabelos lisos e comprimido, tenho um corpo de dá inveja em muitas mulheres,  uma buceta enorme e um cuzinho bem arrombado.

Eu tenho um relacionamento de quatro anos e a três meses e venho tendo alguns casinhos rsrs.

Eu sempre fui putinha,  sempre gostei de dar o rabo.

A menos de 4 meses conheci um rapaz lindo, corpo maravilhoso e com um pau de dá medo em muitas mulheres, inclusive na noiva dele.

A primeira vez que saímos fiquei doida pois o cara me fudeu gostoso e pau dele é muito grosso, então acabou com minha buceta, que ficou toda esfolada. Depois desse dia ficamos um mês sem nos ver, na semana passada combinamos de nos encontrar, ele disse que queria fuder meu cuzinho, fiquei com um pouco de medo e também curiosa pra saber se dava conta daquela tora no meu cuzinho.

Chegou o tão esperado dia, fiz uma boa ducha no meu cu pra não ter imprevisto e fui ao encontro dele. Chegando lá ele já veio me beijando e tirando minha roupa, eu tirei sua bermuda e comecei chupando seu pau que mal entrava na minha boca. Pedir ele pra me fuder, mais ele disse que só depois que eu gozasse na boca dele, e me deu uma chupada maravilhosa.

Quando gozei ele meteu com força na minha bucetinha que já estava latejando querendo rola, doeu um pouco, mas o tesão tava demais, depois de meter bastante eu pedir pra enfiar o dedo no meu cuzinho enquanto fudia minha buceta, ele lubrificou o dedo e meteu com carinho e eu já rebolava igual uma putinha, tava com tanto tesão que mandei ele bater na minha cara, ele ficou doido quando pedir pra colocar mais um dedo no meu rabo, ficamos assim por uns 10 minutos, quando pedir pra ele meter no meu cu.

Ele colocou a cabeça do pau na portinha e meu cu já estava piscando chamando ele, eu rebolei pra ajudar a entrar, quando dei por mim o pau dele já estava todo no meu cu e quanto mais ele metia, mais eu pedia rola. Ele me xingava de cachorra, piranha, puta, safada, eu ficava doida com essas palavras, quando meu cu já estava todo arrombado ele falou que ia gozar. Eu pedi pra ele encher meu cuzinho de porra , pois a putinha dele gostava de tomar leitinho no cuzinho, quando terminamos eu resolvi conferir no espelho pra ver o estrago e lá estava minha buceta inchada e meu cu todo arrombado e pigando porra.

Minha bucetinha está toda melada só de contar minha história pra vocês.

Vou aproveitar que estou sem calcinha e me exibir na varanda daqui de casa e depois bater um siririca bem gostosa.

O safado do bate papo

Em uma noite qualquer na semana ….estava entediada e sozinha então entrei numa sala de bate papo para jogar conversa fora e conhecer pessoas a toa mesmo.

Até que um apelido me chamou atenção. Estava como careca e começamos a conversar, até q decidimos trocar número de telefone e saímos do bate papo. Ele é casado e eu também, aquele êxtase do perigo nos consumia e a conversa ia ficando cada vez mais quente.


Conversamos o final de semana todo, até que ele cheio de atitude disse q ia ao meu encontro. Eu fiquei muito excitada por que ele estava realmente disposto a me conhecer e a meter bem gostoso comigo. Ele é de uma cidade próxima e ficou bem empolgado quando eu disse que queria vê-lo também.

Durante o final de semana trocamos mensagens picantes até q ele mandou foto do seu pênis bem grosso e grande. Ele pedia foto Minha mas não mandei, gosto do jogo da sedução, queria ver se ele realmente vinha comer a minha buceta que já ficava molhada só em ver a foto daquele pau gostoso com cara de Safado que queria me comer todinha.

Chegado o dia que combinamos, ele veio mesmo. Gosto de homem de atitude e nele isso não falta. Tínhamos pouco tempo então fomos logo pro motel e chegando lá estávamos um pouco com vergonha, mas com tesão de sobra. Eu estava louca pra sentir aquele pau lindo e gostoso me fudendo, mas antes ele me chupou bem gostoso. Chupou meus peitos com vontade e delicado ao mesmo tempo e depois desceu pra minha buceta que já estava tão molhada, doida pra meter com ele.

Chupei seu pau, mas não consegui dar o melhor de mim pois nunca transei com um cara com um pau tão grande e grosso como o dele. Eu fiquei assustada e ao mesmo tempo louca de tesão, até que pedi pra ele meter em mim. E ele meteu com vontade e com tesão.

Aquele pau duro, grosso e grande entrando em mim me deu uma sensação maravilhosa, um tesão inexplicável que logo gozei. Não aguentei. Gozei no pau dele três vezes, a última vez que gozei eu estava de 4 pedindo pra ele bater e meter que eu era a puta dele. Na cama sou a puta do meu macho gostoso.

Foi uma transa rápida, mas a mais satisfatória da minha vida. Gozei gostoso pro meu safado e espero que tenha mais e mais.