O safado do bate papo

Em uma noite qualquer na semana ….estava entediada e sozinha então entrei numa sala de bate papo para jogar conversa fora e conhecer pessoas a toa mesmo.

Até que um apelido me chamou atenção. Estava como careca e começamos a conversar, até q decidimos trocar número de telefone e saímos do bate papo. Ele é casado e eu também, aquele êxtase do perigo nos consumia e a conversa ia ficando cada vez mais quente.


Conversamos o final de semana todo, até que ele cheio de atitude disse q ia ao meu encontro. Eu fiquei muito excitada por que ele estava realmente disposto a me conhecer e a meter bem gostoso comigo. Ele é de uma cidade próxima e ficou bem empolgado quando eu disse que queria vê-lo também.

Durante o final de semana trocamos mensagens picantes até q ele mandou foto do seu pênis bem grosso e grande. Ele pedia foto Minha mas não mandei, gosto do jogo da sedução, queria ver se ele realmente vinha comer a minha buceta que já ficava molhada só em ver a foto daquele pau gostoso com cara de Safado que queria me comer todinha.

Chegado o dia que combinamos, ele veio mesmo. Gosto de homem de atitude e nele isso não falta. Tínhamos pouco tempo então fomos logo pro motel e chegando lá estávamos um pouco com vergonha, mas com tesão de sobra. Eu estava louca pra sentir aquele pau lindo e gostoso me fudendo, mas antes ele me chupou bem gostoso. Chupou meus peitos com vontade e delicado ao mesmo tempo e depois desceu pra minha buceta que já estava tão molhada, doida pra meter com ele.

Chupei seu pau, mas não consegui dar o melhor de mim pois nunca transei com um cara com um pau tão grande e grosso como o dele. Eu fiquei assustada e ao mesmo tempo louca de tesão, até que pedi pra ele meter em mim. E ele meteu com vontade e com tesão.

Aquele pau duro, grosso e grande entrando em mim me deu uma sensação maravilhosa, um tesão inexplicável que logo gozei. Não aguentei. Gozei no pau dele três vezes, a última vez que gozei eu estava de 4 pedindo pra ele bater e meter que eu era a puta dele. Na cama sou a puta do meu macho gostoso.

Foi uma transa rápida, mas a mais satisfatória da minha vida. Gozei gostoso pro meu safado e espero que tenha mais e mais.

Traindo o namorado corno com o porteiro do condominio

Moro num condomínio e dei muito gostoso para o porteiro do meu condomínio..

Ele é um homem por volta de 30 anos, branquinho, cabelos negros, um ar de sério e gostoso. O uniforme dá um ar mais sexy pra ele, não sei explicar muito bem, mas desde o dia em que me mudei pra cá, achei esse homem um TESÃO. Moro em um condomínio enorme, muitas casas e 3 funcionários por turno. Já esse porteiro, além de ficar na portaria é estilo um faz tudo por aqui, qualquer problema que você tem em casa é só chamar.

Eu tenho um namorado que parece uma moça, inútil pra fazer qualquer coisa em casa, um dia tive um problema com a torneira da cozinha e tive que pedir uma ajuda para esse porteiro gostoso rs.

Ele foi o tempo todo bem solícito e educado comigo, não tirava os olhos do meu decote, eu sentia ele me comendo com os olhos e aquele olhar sacana me deixou toda arrepiada, senti um fogo percorrer pelo meu corpo e minha bucetinha ficar molhada.

Ele tem um olhar penetrante, de homem safado, sabe?

-Vou consertar sua torneira, e vai parar de pingar rapidinho!

Mal sabia ele que era outro lugar que tava pingando e precisando da ferramenta dele pra consertar…

Resolvi deixar ele mexendo nas coisas e fui na geladeira, peguei um suco de laranja pra ele….

Ele tomou, me deu um tesão ver aquele homem suado ali com aquela camisa apertada marcando aqueles braços enormes. Nem preciso dizer que fiquei louca de tesão, eu queria seduzir ele de qualquer jeito, fui lá dentro dizendo que ia tomar um banho, deixei até a porta aberta, não tava confiante que ele ia lá olhar mas tentei a sorte.

Fiquei nua, tomei um banho gostoso já crendo que ele não ia aparecer, mas de repente me deparo com ele na porta me olhando pela brechinha, com a mão no o pau e me olhando com ar de desejo, daquele jeito que já está te comendo com o olhar

Fiquei louca de tesão e com a mão chamei ele pra chegar mais pertinho. Ele já foi tirando a camisa, os sapatos, a calça, ficou só de cueca branca, bem sexy com aquele pauzão marcando e balançando.

Fiquei louca, que vontade que me deu de dar a bucetinha pra ele.

A safada acabou fodendo com o porteiro

Ele entrou, antes tirou a cueca, jogou em qualquer lugar e se aproximou de mim por trás, perguntando com voz sedutora se eu queria que ele esfregasse as minhas costas, eu respondi que queria ele esfregando outra coisa em mim e senti ele pegar no pau e passar pelo meu corpo, ele esfregou aquele pauzão gostoso na minha bunda, brincando, provocando e me deixando doidinha de tesão.

Senti sua boca percorrer meu pescoço, ombros, costas, ele se ajoelhou e começou a beijar e mordiscar minha bunda.

Eu empinei gostoso, ele abriu as bandinhas e meteu a língua bem de levinho no meu cuzinho.

Logo ele começou a lamber e chupar meu cuzinho, me deixando toda arrepiada, com um tesão enorme.

Eu rebolava na cara dele, o safado não tirava a língua do meu cu nem por um minuto.

Me deixou com muito tesão, toda arrepiada. Depois de um cunete gostoso ele me virou de frente pra ele, lambeu minha barriga, minhas coxas e me fez apoiar uma das pernas em seu ombro, pra ele lamber minha bucetinha todinha. Eu abri com as duas mãos pra ele e exibi meu grelinho durinho de tesão ali na cara dele.

Eu tava implorando pra ser chupada por aquela boca.

Ele sugava e lambia minha buceta de um jeito que perdi o controle, gemi alto, rebolei na boca dele, falei altas putarias gostosas enquanto ele me chupava, uma delícia.

Ele me pegou de jeito ali mesmo, me virou de costas na parede, puxando meus cabelos, e encaixou aquela pica na minha buceta. Foi uma meteção gostosa, fiquei gemendo na rola dele, querendo mais, rebolando e tomando tapa e puxão de cabelo, sendo tratada como a puta que sou. E QUE MEREÇO!

-Aiiii você fode tão gostoso sabia? que pica é essa deliciosa?

-É toda sua gostosa, delícia entrar nessa buceta apertada.

E assim a gente fudeu no chuveiro em tudo que é posição, fiquei de quatro pra ele apoiada com os braços no chão e dei meu cuzinho até ele deixar todo arrombado.

Nossa, delícia de macho bruto e com uma pegada que me deixa com a buceta melada só de lembrar.

A gente trepou uma meia hora, o que pareceu uma eternidade de tão gostoso, mas a gente não podia demorar porque alguém ia desconfiar, mas valeu muito a pena essa brincadeira safada. Agora to esperando outro cano arrebentar aqui para ele vir e arrebentar o meu 😉

A gotosa do WhatsApp

Ela lhe despertava um desejo ardente, porém mal imaginava a situação.

Eles se conheceram na internet, em um grupo de whats para falar a verdade. Inicialmente, não se falavam muito, uma coisa ou outra, um comentário sobre futebol, algum elogio.

Assim, o tempo, que sempre leva tudo ao cabo, fez com que as conversas fossem ficando cada vez mais constante e agradável.

Ela falava sobre sua vida pessoal, sobre alegrias, tristezas, frustrações, desejos, ou seja, praticamente tudo. Ele a lia, depois passou a ouvi-la, sempre com muita atenção e reflexão. Ele era assim. “Misterioso”, “fechado”, porém atencioso.

Assim como ocorria inicialmente, os elogios ocorriam. Ela com um corpo fenomenal, daquelas falsa magras. Sem barriga, com cinturinha e com uma bunda de dar inveja para muita mulher. Nem pequena, nem tão grande, na medida.

Os seios seguiam a mesma linha, médios.

Ela era um filé.

O que melhorou ainda mais quando ela entrou em uma academia para treinar boxe, a arte marcial cuidava de tornear o corpo.

Por vezes, ela postava foto no instagram, “#Treino”, “#Boxe”, entre outras hashtags possíveis. Ele observava. Via o corpo bem torneado com o brilho suave de suor, o que ajudava a destacar suas curvas.

Apenas essas fotos, já o fazia ficar excitado. Ele imaginava que se estivesse ali, a tentação seria enorme para dominá-la ali mesmo. Furtar-lhe um beijo, sufocando-a, tirando-lhe todo o ar do pulmão, o que poderia lhe causar uma pequena vertigem. Assim, ele imaginava transando com ela ali mesmo, colocando-a de quatro e estapeando-lhe a bunda.

Os nudes não eram frequentes, mas o enlouquecia.

Era estava cada vez mais tenso nela. Queria muito fodê-la.

Não chegaram a marcar para sair. O tempo corrido dele, muitas viagens, compromissos, trabalho, trabalho e trabalho. Tudo ocupava o tempo.

Até que um dia, ele estava em uma padaria, quando a viu ingressar no local.

Ele pensou que fosse miragem, alguém parecido, um engano mental, uma ilusão criada pela mente para que ele pudesse rememorar o quanto ela era gostosa.

Mas, não.

Ela era.

Ele, sem saber o que fazer, ficou em seu canto. Tomou o restante do café que repousava à sua frente, pegou a fila do caixa, pagou a conta e aguardou na esquina. Sem saber ainda o que fazer, ficou aguardando.

Assim que ela saiu, ele se dirigiu até ela, sem que fosse notado.

Quando ela chegou ao carro, ele a agarrou por trás, beijando-lhe o pescoço. Imaginava que seria um excelente sinal de “olá tudo bem?”.

Ela se assustou e ficou com medo.

Ele logo falou algumas palavras que a fizesse identificar quem era.

O susto permaneceu, mas o medo se foi.

Então, ele logo colocou as mãos nas coxas dela, puxando-a para que ela arrebitasse ainda mais a bunda, para encaixar ainda melhor seu pau duro.

Ela gemeu alto.

Então, ele abriu a porta de trás do carro, a empurrou dentro e se jogou, caindo por cima dela.

Pela primeira vez eles se olharam nos olhos.

Porém, a intimidade era tamanha que eles podiam se comunicar pelo olhar.

Eles se beijaram, simultaneamente ao toque dele. Que já sentia o molhado que sobrava na calcinha.

Ele levantou a blusa dela, arrancou o sutiã e começou a beijar de modo intenso os seios dela. Nesse momento, a buceta dela já estava encharcada. Ele sentia o liquido dela.

Colocou, primeiro um dedo, depois dois e três, enquanto massageava o clitóris com o dedão.

Ela urrava de prazer, esperava por aquilo fazia tempo.

Ela gozou.

Ato contínuo, eles começaram a sorrir, ficaram se olhando por alguns minutos, segundos talvez, até que ele se ajoelhou no chão e começou a sugá-la.

Ela permanecia excitada, embora cansada, queria ele dentro dela.

Depois, ele se levantou e pediu por boquete. Ela era especialista, fez o melhor boquete da vida dele.

Já não aguentando, ele abriu as pernas dela e a penetrou, movimentando os quadris dela. Que delícia ela era. Gostosa demais.

Em seguida, ele a colocou de quatro, penetrando novamente, enquanto ela chupava os dedos de uma mão, ele dava tapas com a outra.

Foi assim até que gozassem juntos.

Então, novamente ficaram repousando por um tempo, se ajeitaram, saíram do carro e conversaram mais um pouco.

O dia tinha sido inesquecível. Foram embora, mas não sem antes pensar no próximo encontro.

Esposa liberou o cuzinho

Meu nome é Tales sou casado há cerca de 9 anos, mesmo após todos esses nove anos casado tenho muito tesão na minha esposa, sempre tivemos noites de prazer muito gostosos, um sexo delicioso e algumas vezes em lugares diferentes, em trilha de cachoeira, estacionamento de shopping, praia, rua, casa de amigos e outros locais, sempre rola aquela punheta gostosa, ela sempre me surpreende com uma punheta inesperada, quando vou dormir, naquele mar/lagoa com águas paradas, quando chego do trabalho cansado e deito no sofá, quando estou acordando, e até mesmo quando estou dirigindo em lugares pouco movimentados rola uma punheta e as vezes aquele boquete que até perco a noção da direção, e que boca maravilhosa tem…

Minha esposa é baixa, tem peitos bem grandes e rosinhas, uma bunda maravilhosa que sempre que possível eu tiro fotos ou peço para ela tirar e mandar pois eu faço um “book” sempre que posso dou aquela olhada que já me deixa com tesão….

Apesar dessa vida sexual bem interessante sempre tive uma vontade que ela não me proporcionou: Sexo Anal. Eu sempre cobicei o cuzinho dela, já coloquei um dedo, dois dedos, até o terceiro dedo cheguei a colocar um pouquinho, mas as poucas vezes que tentamos colocar meu pau ela reclamava que doía muito, logicamente eu a respeitei e não finalizamos. Mas essa vontade nunca sumiu.

Um belo dia mais uma transa nossa eu sempre explorando sua bunda maravilhosa, chupando seus peitos e acariciando seus grelo e seu cuzinho ao mesmo tempo, eu sentia seu cu piscando e o grelo inchado, estava uma delícia, ela adora ser comida de quatro, quando eu coloquei ela de quatro, já com sua buceta pronta para sem penetrada eu continuei acariciando seu cuzinho e ela gemia gostoso e ela sempre deixava eu colocar os dedos, ela muitas vezes pedia pelos dedinhos, nesse dia ela gemia cada vez mais, foi nessa que descobri um produto muito bom, um gel e anestésico que salvo nossa noite, coloquei apenas um pouquinho do dedo e fui lambuzando e colocando o dedo para ver sua reação.

Ela gemia e eu fui colocando outro dedo, como eu não coloquei muito gel ela sentia a dor do tesão e o alivio do anestésico, eu coloquei 3 dedos e ela gemendo de tesão, foi aí que eu coloquei a cabeça do meu pau na entrada do seu cuzinho como eu já tinha feito outras vezes sem sucesso, deixei que ela controlasse a situação para se sentir mais confortável, ela foi sentando com medo dizendo que estava doendo um pouquinho, quando ela foi perceber já tinha engolido meu pau inteiro com aquela delicia de cu, ela surpresa por não estar doendo e também sentindo muito tesão ao perceber que eu estava no extremo da excitação, ela sentava cada vez mais, rebolava gostoso, sentava, gemia, enquanto ela sentava no meu pau eu também acariciava o seu grelo que já estava inchado, eu segurava na sua cintura e ela sentava gostoso no meu pau que estava prestes a jorrar leite dentro dela, até que ela disse que iria gozar e começou a sentar mais forte, bem forte, bombando muito e eu não aguentava de tanto tesão, ela gozou muito forte e eu também, foi tão intenso que cada um caiu para um lado da cama, meu pau latejando e seu cuzinho piscando e sua boceta toda molhada que até escorria.

Agora estamos planejando melhorar isso com outras “ferramentas”, foi uma das melhores transas que já tivemos juntos, espero que tenham outras para eu contar

Crush Secreto

Dezembro chegou, e com ele todas as mesmas tradições de final de ano, as lojas ganham decoração Natalina, as pessoas já planejam onde vão passar o final do ano, más se tem algo mais certo do que o Natal chegar, é você ser convidado para participar de algum amigo secreto. É tanta variedade de amigo secreto que hoje em dia tem, amigo caneca, amigo havaianas, amigo da onça, ARGH, socorro. Pois esse ano não consegui escapar, de novo o meu setor decidiu fazer uma confraternização e celebrar com o famoso amigo secreto.

– E aí Nina, já comprou o presente do seu amigo secreto? – Minha colega ao lado me perguntava.

– Não Joice, e você? – Respondia super desanimada sem nem tirar os olhos da tela do meu computador.

– Eu já, aí estou tão animada, mal posso esperar para ver a reação do meu amigo secreto…

A voz da minha amiga sumia ao fundo, eu só queria estar morta, eu havia tirado a pessoa que eu menos gostava daquele escritório. O cara de direita com piadas machistas e repleto de masculinidade tóxica, minha ideia de presente seria uma camiseta escrita, CUIDADO TÓXICO. Eu queria mesmo era ter tirado a Vanessa, ai a Vanessa, só de olhar ela a sala fica em câmera lenta, Vanessa era do departamento financeiro, tão linda e estilosa, nunca conheci ninguém tão linda como ela, ela tinha um sorriso tão meigo e genuíno.

– NIIINA – Joice estalava os dedos na frente do meu rosto me convidando a voltar a realidade. – Sonhando de novo Nina, poxa, quando é que você vai convidar ela para sair?

– Ai Joice, um dia, ano que vem talvez. Ela acabou de terminar um namoro.

– Isso faz meses já, se você esperar demais, outra menina pode passar na sua frente. Fica a dica.

– Tah, obrigada.

Ao final do dia fui encher a minha garrafinha de água no bebedouro e escutei a voz angelical de Vanessa.

– Oi Nina.

Quase derramei minha garrafinha.

– VAN… oi?

– Te assustei? – Não, eu que sou desastrada mesmo. Ansiosa para o final de semana?

– Muito, adoro amigo secreto. – Ela sorria

– Gostou de quem você tirou então?

– MUITO. E você? – Eu também – menti.

Aquele seria um momento perfeito para puxar assunto com ela, convidar ela para ir no cinema, más minha timidez é meu maior defeito. Assim que comecei a sentir meu rosto corando arranjei uma desculpa para sair.

– Bom, preciso terminar umas planilhas. A gente se vê amanhã então né?

– Sim, não esquece, todo mundo de camiseta vermelha e gorrinho para tirar uma foto natalina.

Fiz um joinha e voltei para minha mesa com o coração acelerado

*

Amanheceu e o tal dia da festa chegou, coloquei meus shorts jeans, uma camiseta vermelha, um all star e fui. Dirigi até o sítio, peguei Joice no caminho para dar carona e chegando lá já se ouvia a risada de todos, o barulho de crianças pulando na piscina e som alto tocando. A casa do meu chefe tinha uma sala linda e no centro uma árvore de natal gigantesca muito bem enfeitada, deixamos nossos presentes na arvore e fomos aproveitar o churrasco.

Foi bem divertido, eu queria revirar os olhos dando longos goles na minha cerveja a cada momento que Rodrigo, o machão tóxico que tirei contava vantagem em uma de suas histórias claramente inventadas.

– Olha a Vanessa chegou. – Joice me cutucou

E lá vinha a minha musa, linda como sempre, em um vestido vermelho, toda arrumada e um gorrinho vermelho de Natal, era como se o presente que eu mais quisesse viesse andando até mim. A tarde passou e Vanessa conversava comigo e Joice sobre besteiras, clientes chatos, expectativas para o final do ano, más um dos melhores momentos foi quando Joice perguntou quais as expectativas ela queria e ela respondeu olhando para mim.

– Uma nova namorada. Ai gente, todos esses meses sozinha, é um saco. Gosto de estar namorando, hoje em dia as pessoas têm medo de se relacionarem, sabe? Acho um saco isso.

– Elas também têm medo de chegarem nas pessoas que gostam, né Nina?!

Arregalei os olhos para Joice. Dei um sorriso amarelo e desconversei.

– Iii, olha lá, já estão chamando a gente para começar a brincadeira.

A brincadeira começava com charadas que dessem dica de quem era o seu amigo secreto, o meu foi bem fácil, simplesmente falei que meu amigo só falava de mulher e reclamava de política o dia inteiro, o nome Rodrigo foi unânime, dei uma camiseta do time de futebol que ele gosta, ele tirou a Joice, Joice tirou a Vanessa e agora foi a vez de Vanessa dar a charada para o amigo secreto dela.

– Olha, meu amigo secreto é uma pessoa muito especial para mim, é uma pessoa linda e charmosa, um pouco tímida, más que eu gosto bastante, devo admitir que tenho um puta crush nela.

Joice imediatamente gritou enquanto algumas pessoas se perguntavam e davam palpites.

– É A NINA!!!

– ACERTOOOUUU!!! – ela gritava.

Eu em choque apenas levantei e fui receber meu presente e ela me deu um longo abraço e um beijo no rosto. Abri meu presente e era um perfume de marca, muito bom por sinal, que eu já estava de olho faz um tempo. Eu fiquei bem confusa, aquilo estava realmente acontecendo? A mulher dos meus sonhos disse que tinha um crush em mim na frente de geral?

– Eu espero que agora você pare de fazer cú doce e tome atitude.

Joice dizia entre os dentes enquanto sorriamos para a foto natalina da empresa. Todos de chapeuzinho em frente a arvore como tradição. Vanessa estava ao meu lado, e suas mãos tocavam a minha cintura.

Após a foto, cheguei em Vanessa e puxei assunto.

– Eu amei o meu presente.

– Fico feliz, eu amei ter tirado você, queria que o presente fosse especial, por isso, fui falar com a Joice sobre o que você gosta, digamos que ela incluiu objetos e pessoas nas sugestões.

– AAHHH – Fiquei muda, ela estava investindo porque Joice contou que eu gostava dela. – Aquela safada, fofoqueira.

– Não brigue com ela, na real, ela já sabia do meu interesse por você, e por isso decidiu dar uma forcinha.

Vanessa deu uma olhada ao redor e com um sorriso no rosto disse.

– Quer ir para o andar de cima, conheço um quarto vago onde podemos conversar sem olhares.

Acenei e logo mais peguei minha cerveja e a segui. Chegamos a um quarto, provavelmente o quarto que o chefe usava para visitas, muito bem decorado por sinal, com cama para casal. Sentamos na cama e comecei a falar.

– Cara, mil desculpas, realmente minha timidez é um bloqueio, na minha cabeça eu criava mil promessas e ocasiões para poder falar com você, más nunca tomava coragem.

– Shhh… – Vanessa cobria meus lábios. – Sua timidez não é um defeito, é um charme. – E então Vanessa se inclinava para me beijar.

Meu coração agora disparava, más agora seria um momento que minha timidez não iria me vencer, eu agora seria a mulher dominante que sempre me imaginei ser.

Puxei o pescoço de Vanessa para um beijo quente e apaixonante, nossos lábios se encontraram e na minha cabeça eu só conseguia imaginar fogos de artifício, sua pele macia roçava na minha, e seu perfume se impregnava em mim, nossos lábios se abriam para que nossas línguas se entrelaçassem e dançassem. Vanessa tinha o gosto de cerejas e eu queria beijá-la cada vez mais, más a cada mais tempo que nos beijávamos, mais nossas respirações ficavam ofegantes e nossos corpos quentes, não sei o que passou pela minha cabeça, más agarrei o seio dela por cima do vestido com uma mão e com a outra agarrei a sua bunda, talvez eu não estivesse pensando, más só seguindo meu instinto, e meu instinto era devora-la. E meus movimentos parecem que atiçaram ainda mais Vanessa, ela imediatamente pulou no meu colo e abaixou as alças do seu vestido para baixo e puxou seu vestido revelando aqueles lindos seios para fora. Ela me abraçou pelo pescoço e os esfregava em meu rosto, me convidando a mama-los. Enquanto eu fazia isso eu coloquei minha mão por baixo do vestido dela e explorava a sua bucetinha. Vanessa agora gemia baixinho e bem ofegante, ela se roçava em minha mão, puxei a calcinha dela para o lado, eu esfregava o clitóris dela e busquei pela entrada da vagina dela, ela estava tão meladinha e quente.

– Me chupa Nina, me chupa. – ela implorava.

Como sonhei e esperei por essas palavras. A peguei no colo e a coloquei na cama, e puxei toda a sua roupa para baixo, ela agora estava completamente nua para mim, seu corpo era maravilhoso, como sempre imaginei. Ela me olhava, completamente corada de desejo, me ajoelhei em frente a cama e coloquei suas pernas sobre os meus ombros e comecei a chupa-la.

Vanessa se agarrou aos lençóis e arqueava suas costas contra a cama. Que bocetinha gostosa e quente, eu chupava aquela vulva maravilhosa e brincava com o grelinho dela, e ela se contorcia de prazer, ela agarrava meus cabelos e me puxava contra ela, me esfregando nela. E eu trabalhava nela, deixava ela bem babada, a assoprava, dava leves tapinhas nela e fazia movimentos circulares no clitóris dela. Ela estava completamente entregue ao prazer, e eu era a dona desse prazer. Vanessa se desfez do meu oral, se levantou e veio doida para cima de mim. Me puxou a camisa por cima dos ombros, tirou meu sutiã e me deu uma rápida mamada nos seios, más logo me empurrou para a cama, arrancou minha bermuda e calcinha para baixo, com sapato e tudo. Ela estava vermelha, ofegante, suada, parecia um animal, eu ia falar alguma coisa, más como uma fera ela caiu de boca na minha boceta, e eu tapei um grito de prazer com minhas duas mãos.

O que era aquilo? Aquela sensação de tesão percorrendo todo meu corpo? Será que era aquilo o que Vanessa estava sentindo o tempo todo? Vanessa me dedava com o indicador e estimulava o meu ponto G, enquanto me intercalava entre chupada, linguada, massagem com mãos e tapinhas. Vanessa parecia amar uma boceta como ninguém, ela afundava o rosto em mim como se quisesse me engolir.

– Vanessa, vai com calma… assim eu vou gozar.

– Pois gozaremos juntas.

Vanessa se levantou e se deitou na cama, ficou oposta a mim e me posicionou com nossas pernas se cruzando, na tradicional posição tesourinha, com nossas bocetas se roçando. Que delícia, ver a mulher dos meus sonhos ali, se roçando em mim. Nossas bocetas já estavam tão molhadas e estávamos tão excitadas que estávamos prestes a gozar. Vi pelo olhar de Vanessa que ela ia explodir, ela fechou os olhos e se curvava para trás intensificando nossas tesourinhas e eu vendo isso tive uma reação instantânea e também comecei a gozar, senti a eletricidade percorrer meu corpo e cada parte de mim ficar mole

– AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHH !!!

Ambas gozavamos, uma em cima da outra, nossas bocetas molhadinhas, uma colada na outra. Nesse exato momento nossos sentidos voltaram a reparar ao redor e alguém iniciava o Karaoké. Alguém estava prestes a cantar All I Want For Christmas is You da Mariah Carey, riamos.

– Ah nããoo, precisamos descer e ver isso de perto. – Vanessa dizia

– Eu poderia ficar aqui para sempre te admirando. – Respondi.

Vanessa pegou seu gorrinho de Natal que estava perdido pela cama e o colocou por cima de seus cabelos todo bagunçados.

– Ah é? E como estou?

– Linda, é o melhor presente que já ganhei de Natal.

– Sua fofa. Assim fico vermelha.

– Quero te presentear também. Topa ir no cinema comigo hoje? – Finalmente eu havia tomado coragem para perguntar.

– Adoraria.

Vanessa deitava sobre mim para me dar um selinho.

– Más agora realmente precisamos descer. – Ela dizia

Concordei. Nos arrumamos e cobrimos todos os vestígios da nossa foda pelo quarto.

E esse provavelmente seja o melhor amigo secreto que já tive, ganhei um perfume, uma bela foda, e aparentemente uma nova namorada.

Obrigada papai Noel, Obrigada 2019

Meu amigo e minha esposa safada

Bom o que vou relatar e verdade minha esposa e eu demos casados a 20 anos loira baixinha e gostosa .em nossas transas eu sempre botava o dedo no cuzinho e na buceta ela gozava rápido ficava louca então comecei a incentivar…

.mas ela não topava um dia bebemos além da conta e eu fingi que tinha ido dormir ela foi ao banheiro e vi que meu amigo vei ver se eu tava dormindo daí me fingi ela saiu do banheiro e deu uma olhada no quarto e foi pra sala assistir daí levantei bem de vagar pra ver tava ela no sofá da sala sentada e ele falando em seu ouvido não dava pra escutar mas ela abriu as pernas e ele acariciou a bucetinha dela ela botou a perna por cima da dele e se beijaram como se fossem namorados um acariciando o outro ela pegava no pau dele mas não tirava pra for daí ela se aceitou no sofá pegou um cobertor e ficou batendo punheta pra ele um tempão mais ela não quis chupar ele tentou por na boca dela mas ela ia te o umbigo e volta daí ele levantou e chupou a buceta dele com a calcinha de lado ela gemia baixinho e eu fiquei batendo uma só olhando daí ela pediu pra parar e ver se eu tava dormindo Cori pra cama ele deu uma olhada e voltou quando eu fui ver ele tava com o pai na boca dela chupando sem camisinha a safada lábia a cabeça bem devagar e batia punheta . Daí botou a camisinha e cavalgou um pouco ele tinha pau pequeno daí ela ficou de quatro e pediu pra tirar a camisinha ele tirou e vi que pela cara tinha posto no cu dela não deu 5minutos ele gozo ela foi pro banheiro correndo e quando saiu veio deitar eu levantei e fingi que não tinha visto nada …

bom esse foi meu conto ela não sabe que vi adoraria participar mas ela se fez de boa moça

Ela sabia o que queria!

Ele era um cara alto. Estava sempre de barba, com um olhar misterioso e um sorrisinho safado. No meu trabalho de vez em quando, eu o atendia como todos os outros simpática, mas por dentro queria mesmo era tirar aquela camisa, e ouvir gemidos e sussurros da boca dele.

Certo dia eu estava limpando algumas prateleiras empoeiradas e como algumas eram altas, precisei subir em um banquinho. Tirei os livros e coloquei embaixo do braço. Estava distraída, limpando e ouvindo a música que tocava, um jazz, desses bem lentos, mais alegres, eu mexia minha cintura conforme o ritmo da música, adoro aquele ritmo!

De repente, sinto uma mão na minha cintura.

– “Oi! Não pude deixar de te notar dançando.”

Aquele jeito dele, de aparecer e sumir discretamente, sempre sério e educado ao mesmo tempo, me fazia delirar. Achei estranho o fato dele ter segurado minha cintura, afinal não tínhamos nenhuma intimidade. Gostei, e já queria sentir ele pegando mais forte.

– “Olá! Você me assustou. “

Ele se ofereceu para me ajudar com os livros e eu aceitei.

– “E então, você já tem planos para amanhã? Quero tomar um vinho em sua companhia.”
– “Adoraria.”
– “Ok. Então nos encontramos às 20:00 no Café Bistrô.”

Sai do trabalho e fui direto pra casa, tomei um banho rápido, passei meu hidratante, soltei os cabelos e coloquei uma calcinha preta de renda transparente, porém discreta. Eu já sabia o que queria.

Conversamos muito, bebemos algumas taças de vinho, ele já não tinha aquele ar tão sério. Sabia conversar, era muito inteligente e isso me deixava com ainda mais tesão.

Já era tarde. Ele se sentou do meu lado, e disse:

– “Sabe Stefany, eu sempre te observava ali. Simpática, alegre e queria te conhecer um pouco melhor.”

Ele colocou minha franja atrás da orelha, observou minhas mãos, às segurou, se aproximou da minha boca e beijou, suavemente.

Ele sabia como tratar uma mulher. Agradeci o elogio. Cheguei perto do seu pescoço e senti o cheiro dele delicadamente, me aproximei do seu ouvido e falei baixinho de um modo bem sutil:

– “Vamos sair daqui, quero você!”

Quando cheguei em casa, abri a porta e o convidei para entrar. Deixei a luz apagada. Segurei na sua mão, e o levei até a poltrona da sala. Pedi para que ele se sentasse. Ele o faz, calado.

– “ Posso me sentar no seu colo?” – Perguntei com uma voz de safada.
– 
“Claro” – Respondeu ele prontamente.

Ele ficou olhando pra mim, ainda sério. Beijei primeiro sua nuca, subi até a orelha, lentamente, sem pressa. Segurei seu rosto, e trouxe até minha boca. Beijei-o, lentamente. Eu ouvia claramente sua respiração, que já estava ofegante. Ele estava morrendo de tesão (e eu também).

Tirei a camisa dele, desabotoando lentamente e olhando-o fixamente nos olhos. Levantei e pedi pra que tirasse a calça. Ajoelhei, ficando no meio de suas pernas abertas. Beijei suas coxas suavemente, fazendo com que ele sentisse minha respiração. Subi até a altura do seu pau, que já estava todo molhado.

Segurei na base, com vontade. Olhei pra ele e passei minha língua de leve. Em seguida tirei da gaveta do lado, um óleo, ele me encarou com um olhar curioso. Eu nunca havia usado aquele óleo, apesar de ele já estar à um tempo na gaveta, então também estava curiosa pra experimentar.

Coloquei algumas gotas na cabecinha e espalhei com as mãos, ansiosa pra provar. O sabor era de morango. Senti minha língua quente (que delícia!). Eu estava tão excitada, com tanta vontade que já estava toda molhada, chegava a ser visível.

Segurei o pau dele com uma mão, chupando-o enquanto o masturbava ao mesmo tempo. Com a outra mão, me tocava. Quanto mais ele gemia mais gostoso ficava. Chupei ele todinho, da cabeça até a base. Depois fui aumentando o ritmo, quando ouvi ele dizer:

– “Vou gozar!”

E aproveitei para gozar junto, gemendo, e me deliciando com a cena.

O sorriso estampado em seu rosto deixava claro que ele estava em êxtase. E eu me encontrava na mesma situação. Passamos o restante daquela noite juntos, entre conversas e sacanagens.

Quando o dia raiou, ele voltou para sua casa pois precisava se arrumar para o trabalho.

Minha Cliente Loira na Farmácia

Meu nome é Carlos Alberto e na época eu tinha 20 anos tralhava em uma farmácia, a cliente muito linda me chamou a atenção. Loira, alta, seios e bunda proporcionalmente instigantes. Aparentava ter uns 28 anos, eu achava ela linda, comecei a dar uma atenção extra pra ela, sempre tratando ela muito bem, e dando aquela caprichada no atendimento!

Ela sempre me elogiando que eu atendia muito bem. Certo dia, ela veio com uma amiga, e as duas vieram tomar injeção anticoncepcional, ela quando me viu, me cumprimentou, eu disse boa tarde e perguntei : “Tudo bem com a senhora?” Ela sorriu e me disse: “para de me chamar de senhora, fico me sentindo velha!”. Eu disse: “desculpa, é que não sei seu nome. “Meu nome é Fernanda”, ela disse, então eu disse que me lembraria da próxima vez! Em seguida a amiga dela deu uma cotoveladinha no braço dela e logo ela se ligou e me apresentou a amiga. “Essa é minha amiga, Flaviana”. Eu a cumprimentei também. Flaviana perguntou: “Então esse que é o Carlos
Alberto ?” E a Fernanda respondeu: “Eu chamo ele de albertinho, porque ele já é meu amigo!” Eu sorri meio sem graça e perguntei o que elas iam precisar . Elas responderam hoje nada, só passei pra te ver mais já “Estamos indo, depois eu venho tomar o anticoncepcional, Flaviana também vai querer, tchau. Ai, passado 2 dias, Fernanda liga, e pergunta se eu poderia ir na casa dela fazer injeção anticoncepcional, eu disse que sim então ela me passou o endereço dela e me passou o horário que eu poderia ir, mais pediu pra eu ir depois do meu expediente de trabalho achei até meio estranho! meu horário de trabalho terminou as 22h, troquei de roupa e fui até o endereço, que era bem perto, então fui andando! Cheguei, toquei a campainha, e ela atendeu a porta, estava de camisola, aquelas de ceda, bem curtinha e sexy. Meu pau deu sinal de vida na hora.. Entrei meio com receio e ela perguntou se queria fazer a injeção aquela hora, eu disse você que sabe, a hora que quiser tomar. Ela apenas sorriu e disse, pra mim sentar pra gente conversar, foi lá dentro me ofereceu uma bebida ! claro que aceitei, né, então ela foi buscar e tomamos cada um uma taça. Já tinha percebido o que ela queria, me perguntou se eu queria assistir um filme com ela, de imediato eu aceitei,

Nesse meio tempo, ouvi a campainha de novo e achei estranho, achei que ela tivesse pedido algo pra comer, Mas pra minha surpresa quem chega era sua amiga Flaviana. Nos cumprimentamos de novo e eu me sentei no sofá, que era bem grande e confortável. Perguntei qual filme elas tinham em mente e elas disseram que iriam procurar. Começaram a passar os canais em busca de algum filme e de risinhos uma pra outra, e no meio desse monte de canais, passou por um erótico, logo Fernanda e flaviana

abriram o jogo e começaram a me alisar. Disseram que já tinha algum tempo que não saiam com ninguém e que estavam pensando em me convidar pra vir a casa dela a alguns dias! E dali, começamos a nos pegar. Flaviana já me deu um beijo e Fernanda veio do outro lado beijando meu pescoço. Flaviana já desceu a mão e pegou no meu pau por fora da calça enquanto que a Fernanda tirou minha camisa e começou a me beijar! Flaviana já foi tirando a roupa tbm e ficou só de calcinha e Fernanda tirou a camisola e não vestia nada por baixo. Fernanda puxou minha calça e me deixou só de cueca, alisando meu pau por cima da cueca, eu já tava duro igual concreto e comecei a passar as mãos nas duas ao mesmo tempo e beijar uma de cada vez. Fernanda colocou meu pau pra fora e começou a chupar, enquanto eu chupava os peitos da flaviana , depois de alguns minutos elas trocaram de posição e flaviana começou a me chupar enquanto eu chupava fernanda. Flaviana já tava se masturbando e gemendo baixinho e tirou a calcinha pra se masturbar tbm, as duas levantaram, ficaram na minha frente e começaram a se pegar! Se beijando e masturbando uma a outra e isso me deu um puta tesão então levantei pra entrar na brincadeira, mas elas me jogaram no sofá de novo e disseram que era pra eu ficar só assistindo. Pegaram uma cadeira, Fernanda sentou e flaviana começou a chupar a boceta dela enquanto estimulava o seios dela com uma mão e o clitóris com a outra, ao mesmo tempo que a chupava, depois de um tempo daquilo, Fernanda deu um gemido forte e gozou na lingua da flaviana, que veio até mim e me deu um beijo. Deu pra sentir o gosto maravilhoso da boceta da Fernanda , então a flaviana disse que pelo fato de eu ter sido “bonzinho” por só ter assistido, agora eu podia participar da brincadeira. Me puxou e me beijou de novo, Fernanda deitou no chão e me puxou pro meio das pernas dela apontando meu pau na entrada da boceta dela, entrou facil, pq ela já tava melada demais, apesar de ter uma boceta tão apertadinha e gostosa.

Então, comecei a beijá-la com vontade, flaviana, com uma bucetinha linda e rosada, com poucos pêlos Ela ficou em pé na minha frente e puxou minha cabeça até a bucetinha dela, que eu chupei muito , em seguida elas me jogaram no chão e subiram em cima de mim, uma começou a cavalgar e a outra sentou na minha cara, e as duas começaram a se beijar enquanto faziam os movimentos de vai e vem. Eu já tava quase explodindo e elas estavam gemendo muito, então falei vou gozar e ela disse: “Goza dentro da minha bocetinha”. Gozei na bucetinha da Fernanda , e flaviana gozou na minha boca, depois de gozar, meu pau n fica mole, continua duro, então só leva uns 10 segundos pra eu começar a meter de novo e mandei as duas ficarem de 4 no sofá, uma do lado da outra! E comecei a comer elas de novo. Enfiava meu pau com força bem fundo em uma, enquanto dedava a outra. Troquei de uma pra outra duas vezes. Fernanda gemia mais que a flaviana, Fernanda disse “Gostoso, quero que vc invada meu cuzinho!” Quando ela disse isso, alguma coisa dentro de mim despertou e comecei a socar muito forte na boceta da flaviana e ela gozou meu pau todo, virou, me deu outro beijo e disse que n curtia anal, mas que deixaria eu e fernanda nos divertirmos. Fernanda disse pra ela: “Amiga, n sabe o que tá perdendo!”. Flaviana disse que talvez tentasse outro dia, mas que por hora, já estava satisfeita, então entrou no banheiro. Eu lambi o cuzinho da Fernanda e deixei ele lubrificado sem perder tempo, enfiei o pau com força já de primeira. Na mesma hora ela deu um grito e as pernas dela tremeram, ela caiu de cara no sofá, mas eu não parei, comecei a socar fundo no cu dela. Ela começou a gemer alto e eu segurei ela pela nuca e pressionei a bochecha dela no sofá enquanto socava nela de 4 e com as pernas bambas, depois puxei o cabelo dela, e dei um tapa na cara dela, de leve, só pq comecei a me empolgar demais, ela gemeu e disse: “Mais forte!” Então dei outro tapa, só que dessa vez mais forte que o anterior. “Isso!”. Agarrei o queixo dela e falei: “Tu gosta né, putinha?”. Ela ficou louca e começou a empurrar o cu contra o meu pau, que começou a entrar mais fundo ainda. Eu dei vários tapas na bunda dela e comecei a socar mais rápido, então ela começou a gemer muito e depois de um tempo disse que iria gozar, e na mesma hora eu tbm fiquei com vontade de gozar. Ela gozou mais do que tinha gozado antes e eu tbm gozei tudo no cuzinho dela e nós dois caímos no sofa cansados. E foi isso, peguei as injeções preparei e apliquei na Fernanda, flaviana ficou pro dia seguinte peguei minhas coisas, tomei um outro banho e as duas me levaram até a porta, cada uma me deu um beijo e eu fui embora,

Alguns dias se passaram e fui convidado novamente por Fernanda , só que dessa vez era para passar um fim de semana no sitio dela .

A Safada contou tudo pra sua irmã e rolou umas loucuras realizei várias fantasias de Fernanda e flaviana e da sua irmã jessica .

Minha fantasia é vê meu amigo fudendo minha namorada

A uns meses atrás teve uma festa que nós foi, e cada um levou uma menina, aí nós veio embora, isso era 3:30 da manhã, fiquei sem poder entrar em casa, aí tive que dormir na casa dele, na mesma cama, que ele e a boy dele,

Ele falou que tava fudendo a boy dele do nosso lado e metendo a mão na buceta da minha boy, perguntei a ele se a boy dele tava vendo, ele falou que não, ai ele começou a falar que a minha boy tinha uma buceta bem gorda,

Bem grande, metia a mão com vontade. aí quando foi no outro dia ele falou isso pra mim, fiquei louco de tesão, cheguei em casa excitado e bati uma punheta pensando nisso…

Antes disso eu namorava com uma garota, aí teve um fim de semana, que marquei pra dormir na casa dela, ia levar esse amigo pra dormir lá também, aí ela marcou com uma amiga pra dormir lá também, colocamos o colchão no chão, dois colchão e deitamos, aí minha namorada saí do banheiro, com um baby dollzinho bem pequeno e enfiado, e passou por cima dele, eu fiquei só olhando pra ver se ele via,

Aí teve uma vez que nós tava trocando uma ideia pelo WhatsApp e perguntei a ele se ele tinha olhado pra ela naquele dia, ele falou que não, aí eu falei que era pra ter olhado pow,

Aí disse a ele que ela tinha me perguntado se ele tinha olhado, aí eu falei que sim, ela ficou toda excitada com isso, aí toda vez que eu levava ele lá na casa dela, ela dava um abraço nele, desses bem provocante…

Comi a sogra do meu amigo

Tudo começou quando fui jantar na casa de um amigo, o dia que comi a sogra dele.
Era o jantar de aniversário dele, jantamos e depois todos os convidados começaram a dançar.

Eu estava de olho na cunhada dele, uma morena muito gostosa, mas quando eu conheci a sogra dele fiquei impressionado.

Morena, 45 anos, 1.55 mts, bunda grande, cintura fina, peitos médios siliconado,coxas malhadas.
Sinceramente deixava as duas filhas no chinelo e olha que as duas são bem gostosas.

Perguntei para meu amigo sobre a sua sogra e ele me falou que ela estava separada.
Fiquei meio sem jeito de chamar ela para dançar e fiquei no meu canto olhando para ela, quando vi a troca de olhares entre nós era evidente.

Fui lá e tirei ela para dançar, tocava um pagode e então aproximei ela bem perto do meu corpo.
Pensa em uma mulher cheirosa, tomei coragem e disse para ela que achava ela linda e se ela aceitava sair no final de semana para tomar um chopp comigo.

A resposta dela foi de uma mulher decidida, ” porque esperar o final se semana se podemos tomar hoje” e ela complementou ” tenho chopp na minha casa”.

Meu pau endureceu na hora, convidei ela para ir embora e ela disse que só ia avisar as filhas que estava indo.
Entramos no meu carro é logo minha mão ja correu para as suas coxas.

Ela estava com uma calça bem apertada, dava para sentir como suas pernas eram malhadas,
Na sequência minha mão ja estava em sua buceta e a mão dela percorria meu corpo até ela pegar o meu pau por cima da calça.

Nesse momento ela tirou meu pau para fora e começou a bater uma punheta, peguei ela pelos cabelos e abaixei ela até meu pau.

Ela começou a sugar ele de uma forma que eu nunca tinha sentido na minha vida.
Ela pediu para que eu desse leitinho em sua boca.
Ela começou a aumentar o ritmo do boquete e então eu gozei em sua boca.

Ela levantou e abriu a boca e colocou a língua para fora para me mostrar toda a porra na boca dela, deu um sorriso safado e engoliu tudinho, me mostrando a boca aberta para que eu visse que não tinha sobrado nenhuma gota de porra em sua boca.

O dia em que comi a sogra do meu amigo e rolou de tudo

Cheguei em sua casa, e ela disse que ia em seu quarto e já voltava, me sentei no sofá da casa dela e esperei por ela, só ouvi ela me chamar ” gatinho olha aqui” me virei e ela estava vestida com uma roupinha de enfermeira, sua calcinha branca contrastava com sua pele bronzeada.
Seu corpo era ainda mais lindo do que eu imaginava.

Fui até seu encontro e a beijei muito. Levei ela até sua cama e chupei cada parte do seu corpo, sua buceta depilada e muito cheirosa, eu chupava ela e seu cu em um ritmo que fiz ela gozar algumas vezes com minha língua.

Ela realmente era uma mulher muito decidida, falou “não quero que coma minha buceta, você já me fez gozar. Quero que você coma meu cuzinho, nunca gozei dando o cuzinho.”

Coloquei ela de ladinho e desci até sua bunda, dei vários beijos nela e passei passava minha língua na porta do seu cu.
Ela gemia muito, coloquei meu polegar para deu alargada antes de enfiar meu pau.

Não me gabando, mas eu sei comer um cu como ninguém( todas as mulheres com quem tive um relacionamento na vida aprenderam a dar o cu comigo e ficaram viciadas na prática)
Seu cuzinho piscava no meu polegar.

Coloquei pau que não é tao grande (18cm )mas é muito grosso.( grosso de verdade)
Coloquei a cabeça do meu pau bem na portinha do cu dela e falei no seu ouvido( vem vindo bem devagar, você quem controla como é quando ele entra)

Ela veio vindo e meu pau já pressionava o seu cu, quando finalmente a cabeça entrou, ela gemeu e respirou fundo.”

Voltei a dizer para ela “você quem comanda, vai rebolando bem devagar e aos poucos aumenta o ritmo”

E ela começou bem devagarinho, mas logo ela já começou a rebolar como se o pau tivesse na buceta.

Ela começou a falar para que eu colocasse bem fundo o meu pau, que ela queria sentir tudinho.

Ai disse para ela, quer sentir tudinho ” fica de quatro ”
Na hora ela virou, pensa em uma vista maravilhosa que era aquela bunda empinada na minha frente.

Dessa vez não tive muito cuidado, enfiei meu pau sem dó, ela gemeu e gritou bem alto.
E como gritava e gemia ” come meu cu filho da puta, arromba meu cu faz eu gozar”

Fui colocando e socando cada vez mais fundo até que gozamos os dois juntos e enchi o rabo dela de porra.

Hoje transamos quase todos os dias, viramos namorados e estamos felizes.
E claro que ela ficou viciada em sexo anal.