Amarrada, vendada e…

Meu nome é Sofia, sou uma estudante universitária de 19 anos, bastante alta, magra, com cabelos longos e castanhos.

Quero contar para vocês o que aconteceu comigo há algumas noites.
Estava em casa, esperando meu namorado. Era um tempo que não tinha me encontrado com ele e estava com um desejo de ser fodida que vocês não têm idéia. Estava pensando em como eu poderia deixa-lo louco quando ouvi a campainha tocar.
Estava vistindo um espartilho com suspensórios em renda preta e saltos, fui para abrir a porta e encontrar meu namorado.
“Eu tenho uma surpresa para você. Esta noite eu quero tentar algo novo, você tem que confiar em mim completamente, embora!” me e, em seguida, me jogou imediatamente contra a parede e me beijou.
“Eu confio em você”, lhe digo.

Me pega e me leva para o quarto, faz-me deitar na cama e tira algo fora de sua jaqueta: um pedaço de pano preto. então tira o cinto e usa-o para unir minha mãos para e amarra-las a cabeceira da cama e vendar-me com o pedaço de pano.

“Você tem que confiar em mim completamente ok?” Ele repete.
“OK”, respondo eu, minha calcinha já é um lago.
Sou um pouco assustada. Eu nunca vi ele desta forma, tinha algo estranho em seus olhos.
Eu sinto que sobe em cima de mim, sinto ele perto do meu rosto. Eu pensei que ele queria me beijar, mas ao invés disso sinto o pau dele dentro da minha boca, já está duro, pulsando, rígido. “Chupa gostoso” ele manda. Está fodendo a minha boca.

Eu começo a lamber e chupar a vara, esta posição é desconfortável, mas eu tento pegar tudo o pau em minha boca. Quando começo a chupar ele me segura pelos cabelos e me faz mexer a cabeça vigorosamente.
“Gostoso, pega tudo!”, Diz.
Pega este pau em tua boca que me deixa com muita tesão. Molha ele direitinho!
Chupar o caralho dele, sentir aquele pedaço de carne duro tudo dentro da minha boca me deixa muito animada. Estou louca para sentir aquela vara penetrar minha xoxota.

Eu sinto sua rola que enche minha boca e pulsa quando ele entra e sai, ele rasga com força espartilho e calcinha, deixando apenas suspensórios e saltos. Sento que se levanta e vai embora.
Depois de dois minutos sinto que volta e sobe de volta em cima de mim. Toma meus peitos na sua mão. Eu tenho uma terceira, meus peitos não são enormes, mas bonitos. Ele aperta os mamilos com os dedos, mordisca-los, estão duros e empinados.
Sinto algo frio em contato com meus mamilos, “agora eu vou te fazer sofrer um pouco com o gelo”, diz ele. Eu estou ficando louca de desejo e eu quero que você me foda agora, quero começar a sentir seu pau penetrar minha vagina molhada, mas ainda não é.

“Ah.. fode-me por favor, eu quero te sentir tudo dentro” Eu gemo.
“Ainda não gata”, quero que você sofra mais um pouco ” Eu quero levar você ao limite!” Eu odeio ele naquele momento.
Ele pega mais gelo abre minhas pernas com força empurra-o dentro da minha perereca!
“Ahhh” grito; queima muito, eu sinto o gelo derreter imediatamente em contato com a minha buceta quente.
Pega mais gelo o coloca dentro junto com três dedos. Começa me masturbar com força dentro e fora com violência sempre mais rápido.
“Oh sim sim, me fode! Me come! Não aguento mais!” Grito de prazer.
Seus dedos se tornaram quatro abrindo minha buceta enquanto o polegar torturava o clitóris. “Vou gozar! Gostoso! Gozo!” Grito.
A cama é completamente molhada com meu humor.

“Por favor, quero teu pau, me fode, fode-me por favor, eu não consigo resistir”, eu imploro. Eu, no entanto, quero pegar a pica dele, mas estou amarrada e eu não posso fazer nada.

“Bem, você está pronta agora! Agora vou te foder como eu nunca fiz!”
Eu sinto seu pênis que se encostado contra a minha xoxota aberta, me pega pelos quadris e empurra o pau dentro de mim com força, começa a dar sapecadas, levanta minhas pernas e me abre todinha. O socar dele é muito fortes, sinto o pau duro que entra em mim enquanto com a mão tortura meu clitóris que agora é enchado. Ele agor ame fode lentamente, depois rápido de novo. Alterna socadas fortes afundando todo aquela vara enorme dentro minha perereca com movimentos mais leves que me deixam ao topo da exitação na espera de outra estocada seca que me deixa sem fôlego. Continua, lento e, em seguida, rápido. Minha buceta está tuda aberta, molhada e cheia de vontade.

De repente me pega e me colocou de quatro na cama ainda com as mãos amarradas para trás e começa a massagear minha bunda.
“Agora eu quero que você cale a boca, não quero ouvir sequer uma única queixa, eu não quero ouvir um não de você, meu amor Eu não quero. ‘ s A única coisa que você pode dizer é que você está gostando e me pedir de contínuar… entendeu?” ele me disse.
Eu não entendi no início, eu achei que ele estivesse brincando, eu nunca fui tratada assim!
Ele nunca falou comigo desse jeito.
“Você entendeu? Eu não quero ouvir mais nada além dos gemidos!”

“Está tudo bem, mas por favor, me fode de novo, eu quero mais, não peguei bastante do teu pau!”
Eu sinto seu pênis se aproximando para meu pequeno buraco ainda virgem .
Quando fizemos sexo muitas vezes ele brincava com meu cu, com seus dedos e encostava seu pau duro, e empurrava… mas quando ele estava prestes a entrar sempre pedia de parar, eu nunca quis pega-lo no cu embora deixa-lo me cutucar assim me deixa louca.
Agora estava pressionando contra o buraquinho do meu cu… Pensava que ele quisesse cutuca-lo como sempre…
Mas esta vez empurra mais e mais, começa a doer.. eu abro minha boca para protestar, “Doe, para meu amor, por favor…. ” Em resposta ele me da umas palmadas na bunda, forte.
“Cala a boca! Você é minha! Agora você faz o que eu digo!” Fiquei chocada com seu tom e suas palavras, ele sempre foi doce comigo, parecia outra pessoa.. a situaçã começava a me preocupar, mas também a me deixar com muita mais tesão!
Eu começo a perguntar a ele sobre suas intenções, mas recebo outras palmadas mais forte do que antes! “Você tem que obedecer se não vou punir-te! “, Diz.

Ele pega minhas calcinhas e as coloca em minha boca, as sinto encharcado, molhadas com meus humores. Estou sempre mais ansiosa, parece-me de ter uma relação sexual com um desconhecido.
Ele volta atrás de mim, coloca um dedo na minha buceta quente e molhada, mas logo o tira e fala
“Você está molhada como uma cadela no cio, mas você me desobedeceu, antes você tem que ser punida! “E falando isso me coloca aquele dedo molhado com meus humores no cu, enquanto com a outra mão me dá palmadas!
Sinto a mão dele bater nas minha nadegas uma, duas, três, mais vezes. Apanho por quase um minuto, minha bunda está queimando, enquando ele continua com o dedo no meu cu.
Grito com a calcinha na boca! Sinto o dedo no cu que se move. Depois da dor inicial, começo a sentir um formigamento quase agradável, ele apoia a cabeça do pau na abertura da minha bucetinha e com uma socada súbito me penetra fazendo-me gritar… de prazer esta vez!
Me fode com uma força incrível, me dá pancadas que abrem minha buceta, estocadas cada vez mais fortes enquanto com o dedo trapava meu cu!
Sinto-me completamente possuida, amarrada, com os olhos vendados com uma rola que me fode e um dedo que abre meu cu!
As socadas da sua vara são sempre mais fortes e eu finalmente explodo em um orgasmo violento.

Ele tira seu dedo fora do meu cu e diz: “agora você está pronta para algo maior! ” Sinto que paga algo na sua mão e coloca-o no meu cuzinho, parece algo como manteiga.
Estou apavorada eu não quero dar o cu, mas são completamente indefesa e submissa.
Enfia dois dedos em meu cu e quase não os sinto entrar, mas depois quando começa e mexer sinto um prazer misturado com dor, ele tira os dedos e apoia a cabeça do pau ao buraquinho menor.
Então gata, agora eu vou quebrar teu cu! Eu abro você, gostosa!”
Eu sinto a cabeça do caralho pressionando as mãos dele sobre meus quadris, me puxando em direção dele com um movimento violento.
Tira o meu fôlego, me parece de morrer, parece ter sido rasgada em dois.
“Agora gata, depois da dor inicial, você vai gozar muito junto comigo!” Começa se mover devagar, estou me acostumando ao cacete dele dentro do meu cu. No mesmo tempo com três dedo acaricia minha bucetinha.

Ma sinto cheia na frente e de tras, começo a gemer. Ele tira a calcinha da minha boca para que eu possa dar vazão a todo meu prazer, se move sempre mais rápido dando estocadas mais e mais fortes. Eu sinto sua pica pulsando dentro meu cu, eu sinto que está abrindo meu cu. A dor já foi e em seu lugar eu sinto um imenso prazer.
“Oh fode-me mais forte, eu te amo, siiimmm. Enche-me! ”
“Quebrame, mais forte! Enche-me! Sou a tua puta! Não me comportei, me bate! E ele não me fez repitir isso duas vezes, logo veio outra surra que arrebentou minha bunda fazendo-a ficar cada vez mais vermelha!

Sinto a pulsação do seu pau e percebo que está perto de gozar, eu também estou, contraio os músculos da bunda e gozo gritando como uma puta e ele goza junto comigo.
“Agora vou encher seu cu de porra, vaca!”
Com uma última socada atinge o orgasmo e sua porra quente enche meu cu e derrama na xoxota e nas coxas já molhadas do meu humor.
Caio exausta na cama e ele comigo. Liberta meus pulsos e tira a venda. “Então valeu a pena sofrer um pouquinho?”
Em vez de responder, beijo o peito e desço para lamber e limpar seu bengala.