Brasil na Copa…

A abertura da copa com certeza foi inesquecível! Principalmente pra mim…

A cidade em festa, o povo em alegria, e muita gente na praça aonde o jogo ia ser televisionado. Imagine a cena, gringos, nativos, todos um só! Uma energia muito boa! Foi então q começou, a abertura com suas danças e apresentações, cada um foi para o sua mesa e a bebedeira foi geral, não pude deixar de notar, na mesa ao lado, uma loira, aproximadamente 28 anos, saia azul com estrelas, q com um corte lateral, mostrava as pernas torneadas, lindas e delicadas daquela moça de estatura baixa, aproximadamente uns 1,58m, mas com a barriga a mostra, malhada, camisa do Brasil estilizada, para mostar os seios (e que seios!!!), além da boca… Maravilhosa, linda, impecável.

Assim q o garçom serviu meu quarto Chopp não pude deixar de perceber q ela olhava para a minha mesa, ou seria pra mim? Antes q tivesse tempo de perceber, o garçom se baixou e falou bem perto de mim: – ei meu chapa, aquela mina ali não tira os olhos de vc, que tal passar lá depois? – com um tapinha nas costas e um sorriso, o garçom saiu antes q u pudesse falar algo. Acendi meu cigarro e voltei minha atenção para a mesa do lado, afinal, o jogo não tinha começado ainda e não queria vê-lo sozinho… Assim q nossos olhares se cruzaram, com uma leve mexida no cabelo, e um enorme sorisso, tive certeza q a hora certa de mudar de mesa era essa. Me levantei e fui até ela, com um sorriso no rosto e confiante em um sim, antes q pudesse falar algo, com um lindo sorriso ela se dirige a mim: – pode até sentar na mesa, mas cartão vermelho pro cigarro! – disse ela me mostrando pra sentar ao lado dela.

Assim q joguei o cigarro fora, ela deu uma cruzada de perna fenomenal, digna de filme, pede uma cerveja s começamos a conversar, aquele assunto normal, apresentações formais e depois uma pesquisa de mercado… Até que ambos esbarramos as mãos duas vezes em cima da mesa, com um sorriso na cara e a a ponta da língua no canino, falo sorrindo pra ela: – que coisa nossas mãos se tocando ein! Assim vou ficar mais tentado a segura-lá durante o jogo. – falei olhando para o fundo daqueles olhos azuis. Sua resposta veio logo após um gole na cerveja: – segurar minha mão? Não sei não ein… – disse chegando perto de mim- só isso q vc quer segurar? Ao final dessas palavras a puxei para perto e beijei-lhe a boca, e claro, fui correspondido com um beijo gostoso e molhado.

Ouvimos uma gritaria, e a seleção entrava em campo, ambos paramos de beijar para olhar o telão, e lá estavam todos os jogadores e afins, ia começar! Nos endireitamos nas cadeiras e nossas mãos continuavam juntas, de mãos dadas, cantamos o hino com os jogadores e vibramos com o início da partida. Ao pedir o próximo Chopp, senti uma necessidade urgente de ir ao banheiro (coisa q quando se toma muita cerveja é natural), pedi licença a jovem moça e pedi para q cuidasse da minha bandeira da sorte, não ia me demorar, com um sorriso de resposta e um leve beijo no pescoço, ela me pediu para não demorar, nem fumar escondido dela. Assim q entrei no banheiro, reparei em uma gritaria e vaias, me apressei ao sair correndo e me deparei com o placar de 1×0 para a croácia! (Que merda! Tinha apostado 4×0 no bolão do Brasil! ) a sorte já estava a me fazer piada… Ao chegar na mesa, ela nervosa e cheia de agitação me solta : – a culpa foi sua! Foi você sair tomamos um gol! E contra ainda! Você está proibido de sair daqui durante o jogo! – me disse ela nervosa e ao mesmo tempo rindo da brincadeira.

Peguei sua mão e a abracei de forma que minha boca fosse até sua orelha: – vamos fazer uma aposta? Em 2008 foi assim também é o Brasil virou o jogo. Assim q o Brasil virar o jogo, e vai virar, a gente apimenta mais esse encontro, o que acha? – me puxando para um beijo e depois uma gargalhada, ela encosta sua bunda no meu pau, de forma a deixá-lo bem encaixado no meio de suas nádegas e começa a rebolar bem de vagar: – claro q vamos… Mas achei q não ia precisar de uma aposta para isso! Hahahhahaha. Mas agora é uma aposta! – se virando para me beijar- e não gosto de perder apostas, mas nessa posso abrir uma exceção. – então um novo beijo surgiu e não pude evitar de levemente descer minha mão da cintura para uma das nádegas dela, que sem objeção nenhuma dela, pude apalpar aquela delicia de bunda, durinha e grande, na medida certa para uma trepada excelente, já imaginando ela de 4 e cavalgando, não pude deixar de ficar excitado, e creio q ela percebeu, sua mão foi de encontro a minha cintura, passando pela minha barriga, peito e ombro direito, descendo com uma arranhada deliciosa q me tirou um suspiro, sua mão levemente passeou na minha virilha esbarrando várias vezes na cabeça do meu pau, o que tirava dela um sorriso malicioso todas as vezes q isso acontecia.

De repente um grito e muitos vivas, nosso momento foi interrompido pela gritaria e cornetas, “Um pênalti para o Brasil!” Gritava o locutor! – pênalti para o Brasil, Neymar na cobrança! – aquilo era um nítido sinal que minha sorte estava voltando. Antes do gol, ela volta a encaixar a bunda em mim, e fica de frente ao telão, ainda roçando no meu pau que estava latejando de prazer, passo meus braço sob a barriga dela e neste exato momento, vem o gol!

Todos pulam e gritam, a emoção e a animação voltou a todos! Um gol e um sinal de que alguém ia terminar a noite muito bem… Junto com o gol, veio o beijo e o abraço apertado, podia sentir nitidamente o cheiro do seu perfume, com a boca no seu pescoço, comecei a dar leves mordidas, ela se afastou sorrindo, sentou novamente na mesa: – essa sua bandeira só funciona com vc mesmo viu! Hauahaihau! Preciso de mais um Chopp! Me acompanha? Garçom! Ei garçom! Mais dois por favor! O homem da sorte grande vai pagar! Hahahhahaha! – essa animação era o meu sinal de q tudo ia bem.

Assim terminou o primeiro tempo, foguetes e animações voltavam a praça, marchinhas de carnaval e cantorias as avessas voltaram a tomar conta do lugar. Ao sentar na mesa e continuar a beber, me veio novamente aquela vontade chata e inconveniente… – Será q posso ir no banheiro no intervalo? Assim não tomamos nenhum gol e a culpa não vai ser minha! Apesar de que, sou eu que dou sorte né? – disse soltando uma risada. – claro q você da sorte! – disse ela retribuindo a risada- só espero q continue nessa maré de sorte por hoje! Subindo as escadas correndo, a fila para o banheiro masculino estava imensa, e a do feminino não… Minha cabeça fervilhava e pensei q não seria de tão ruim assim burlar um pouco a plaquinha na porta e ir ao banheiro feminino (não ia me demorar por lá mesmo).

Entrei rápido para dispistar e fechei a porta, assim poderia fazer oq precisasse e não ia ser notado ( até pensei em fazer sentado para não correr risco, mas logo ignorei a idéia). Foi quando me embananei para abrir a porta e espiar, para minha surpresa, a saia que saia de estralas q passava exatamente na hora em que abri a porta me era conhecida, quando nossos olhares se cruzaram, achei q ia rolar uma zuera, mas quando alguém teve certeza q era eu ali dentro, com um sorriso safado e um pulo, alguém com as duas mãos no meu peito, me empurra para dentro do banheiro de volta, tranca a porta e me cala com um beijo.

Sua mão vai rapidamente de encontro ao meu pau por cima da calça, enquanto minha mão acaricia novamente sua bunda, depois de checar que a porta estava trancada, coloquei minha mão por debaixo da saia em torno da calcinha, ao passar a mão por entre suas pernas, descubro q alguém já está molhada, oque me anima muito, ao colocar a mão dentro da calcinha, ela me empurra para cima do vaso, me coloca sentado e com as mãos no meu peito, passa as pernas por cima da minha, e coloca os seios em minha boca.. Tiro sua blusa e começo a lamber os mamilos, chupando e mordendo os mesmo, seus seios macios, grandes e deliciosos, ótimos para serem chupados, poderia imaginar uma ótima espanhola dela, quando ela se levanta: – vamos animar um pouco mais? Eu tiro isso – disse ela tirando a calcinha- e vc tira essa pica pra fora…

Aquilo já bastou para eu tirar a calça e meu pau explodir por entre a cueca, ao ver meu pau, não pude deixar de reparar q ela parecia satisfeita com o que estava vendo, voltando a sentar em cima de mim, voltamos a nos beijar loucamente, em um sarro maravilhoso, o que fazia minha perna, virilha e demais partes ficaram toda lambuzada com aquele roçar de corpos, duas vezes q fiz menção de tirar as mãos da suas costas para “ajeitar as peças do lego” ela toda hora tirava as minhas mãos de lá, mordendo minha orelha ela sussurra: – você ainda não ganhou a aposta gato, não se precipite… – diz ela ao me arranhar as costas e beijar novamente minha boca.

Aquilo estava me matando de tesão, duas vezes já tinha pensado em levantar e ela parecia apenas querer se divertir assim. Então me ocorreu algo, puxando novamente ela para perto, mordo sua orelha e dou a cartada : – você não disse q partes eu poderia ganhar- finalmente consegui colocar minha mão de forma a poder ajeitar as coisas- vai só gozar em cima de mim e sair? Acho q podemos empatar isso ein- quando meu pau tocou duas vezes o seu clitóris, o que a levou a soltar leves gemidos, assim que a cabeça do meu pau começou a penetra-lá, ela levanta, sorri, e levanta a saia de forma que toda aquela bunda maravilhosa ficasse a mostra (revelando ainda mais suas tatuagens no cóccix e costa), levemente ela vem rebolando no meu pau, com as mãos na sua cintura, puxando cada vez mais, ela empurra para q nada além do sarro aconteça, aquilo me deixa louco… Até q ela pega no meu pau, e alinha ele de acordo com outra parte q eu não havia imaginado…

Aquilo era surreal para minha cabeça, fazendo com q levemente tocasse seu anus, meu pau levemente foi sendo engolido, o que arrancava gemidos e mais gemidos dela, que quanto mais entrava, mais ela gemia… Até q por fim, meu pau estava todo dentro dela, ofegante, ela começa a rebolar e a rir, perguntando se eu ainda estava por ali, então, rebolando e gemendo, começamos o vai e volta que tanto nos era esperado, as minas que eu comia geralmente não gostavam de anal, essa, pelo contrário, adorava e parecia ter muito bem o domínio das coisas. Se virando para mim novamente montada, dessa vez com os pés na lateral do meu corpo, enquanto ela subia e descia, tocava uma siririca na minha frente, o que me deixava mais louco ainda, queria comer aquela buceta molhada, mas a oportunidade de ganhar um anal era algo q não passava nem de longe pela minha cabeça.

Com seu corpo estremecendo, vi q ela já estava gozando, aumentando o ritmo, também não ia durar muito, aquele banheiro estava exalando tesão e já estávamos no banheiro há muito tempo. Ela voltou a gemer mais alto, com certeza o segundo andar do bar inteiro a ouvia, sussurrando no meu ouvido, o pedido q me fez foi irresistível: – goza no meu cú vai… Sua aposta ainda não foi ganha, então depois você goza no meu grelo… – seguido de um lobo gemido, e arranhando minhas costas, continuei a aumentar o ritmo, ambos gemíamos quando gozamos… Sentada em cima de mim, eu sentia todo o caldo q descia de sua buceta escorrer pela minha perna, pelo visto foi ótimo para todos os dois.

Gritos e mais cornetas e foguetes anunciavam o segundo gol do Brasil, enquanto rapidamente a gente se “alinhava” e tentava sair do banheiro sem ser “notado” (o que era meio impossível). Ao sair e ver o segundo gol, já a puxei pelo braço e quando ia beija-lá, ela devia do beijo e vai de encontro a minha orelha: – esquecemos sua bandeira lá em cima… E acho q vc está ganhando a aposta, vamos esperar o jogo acabar? – me diz ela com uma cara maravilhosa de prazer, puxo ela para um beijo e confirmo q sim…