Comi minha vizinha novinha

Comi a minha vizinha novinha comprometida

Olha eu aqui de novo! Me chamo Anderson, hoje tenho 25 anos, sou moreno, magro, 1,70 de altura, 60 kg, não sou nenhum galã, mas tenho uma pegada muito firme e uma conversa boa! é o quarto conto que escrevo (tenho vários, caso gostem) peço desculpas qualquer coisa…

Isso faz uns 7 anos já… desde pequeno eu tinha uma vizinha chamada juliana, uma loirinha magrinha, olhos verdes, cabelo lisinho, peitos e bunda pequena… dava pra ver as veias dos peitinhos dela rsrs coisa mais linda. Quando era adolescente era louco por ela. Eu conhecia os irmãos dela, a gente jogava bola na rua direto. Mas eu nem conseguia fala que gostava dela e tal apesar de todo mundo perceber…

O tempo passou eu já estava terminando o ensino médio… como ainda erámos vizinhos eu a levava de moto pra escola (fazia pouco tempo). Ela já namorava um carinha que eu não gostava, então nem tentava nada. Só que um dia vi o namorado dela dando papo pra outras gurias na frente da escola, eu nada burro falei tudo pra ela e mostrei as gurias.

Ela ficou muito puta e eu claro me ofereci pra dar o troco, no começo ela ficou meio com o pé atrás, mas depois de um tempo ela aparece lá em casa em um domingo a tarde e tocou nesse assunto novamente, mas como meus pais estavam em casa nada aconteceu. Como segunda ia leva ela de novo, eu fiquei todo animado mal via a hora…

Chegou segunda feira e ela estava mais gata que o normal (o que era difícil). Levei ela normalmente, só que já dava pra ver a cara de puta com o namorado, os dois brigaram feio, chegou o final da aula eu montei na moto, ela também e logo em seguida ela sentou passando a mão por baixo da minha camiseta, com uma leve arranhada… meu caralho ficou duro na hora, tinha uns 18 pra 19 anos não nega bala não.

Segui o trajeto normal, chegando na esquina de casa ela pede pra mim para lá que ela queria “conversar” comigo, e eu nada besta fingi que estava muito encima e parei na próxima esquina que era mais escura. Ela já percebeu logo, desceu da moto e foi falando:

Ela: eu não ia fazer isso, mas aquele trouxa vai me pagar.

No mesmo instante ela chegou pertinho de mim (eu estava escorado na moto de frente pra ela) e me deu um beijo, sem pensa duas vezes eu já puxei ela pra mais perto e segurei firme a cinturinha dela e beijava com vontade aquela boquinha rosadinha.

Comecei solta as mãos da cinturinha dela e pega na bundinha dela com as duas mãos… eu apertava firme, com sede, e ela só se entregava. apertava os peitinhos dela e ela só deixava rola… não me segurei e fui metendo a mão por baixo da blusa dela apertando aqueles biquinhos duros, ela tinha uns 18 anos e era uma delícia (ainda é).

Ela estava com uma sainha fui passa a mão na bucetinha dela, foi fácil chega lá, mas logo a safadinha tirou minha mão. Disse que ainda era virgem e que o namorado ainda não merecia aquilo. Mas deu pra ver que era apenas questão de tempo, a safadinha estava com a calcinha toda melada, volta e meia ela soltava uns gemidinhos quando ainda estávamos nos amasso. Como não podíamos demorar muito por causas dos pais dela a gente montou na moto e fomos embora.

Ficamos várias vezes, sempre depois da escola, ela cada dia mais safada, estava se soltando cada dia mais e eu adorando claro, ela continuou com o namoradinho e eu só dava risada quando eles passavam em frente de casa de mãos dadas. Uma vez a gente estava ficando na esquina como sempre aí o corninho ligou pra ela, achei que ela ia me manda embora não!

A safadinha atendeu e me meteu o beijo enquanto ele na linha falava:

Corninho: Amor! Amor? Tá aí?

Foi então que ela parou de me beija e falou um pouquinho com ele, deixou ele conta como foi o dia dele e tal enquanto me beijava e eu colocava a mão dela no meu pau (tinha ido com um shorts de joga bola, já viu né) e ela apertava meu pau forte, e o corninho na linha.

Um dia, uma quinta feira. Fomos pra aula, mas a professora dela estava doente e faltou, como ela estava comigo ela teria que fica na escola até minha aula acaba. Eu estava bem na matéria de quinta (e mesmo se não estivesse) então me ofereci pra leva ela (claro) só que teria que passar primeiro na minha casa. meus pais iam pra igreja toda quinta e a gente poderia fica umas duas horas sozinhos.

Ela sem ter muita certeza, mas ao mesmo tempo querendo aceitou! Cheguei em casa umas 19:30. Ela sentou no sofá da sala enquanto eu ia busca um suco pra ela (ela estava meia nervosinha), sentei do lado dela comecei passa a mão no pescoço dela, mexer no cabelo, ela falava sobre alguma coisa enquanto eu só a provocava, numa dessa cai de beijo nela deitei ela no sofá mesmo e comecei aperta ela todinha, foi ai que tirei a camisa esfregando meu corpo nela oque deixava ela mais louquinha, não demorou muito eu tirei a camiseta dela e puxei o sutiã dela pra baixo mostrando aqueles peitinho branquinhos.

Chupei eles e vi ela se transforma, ela se torcia todinha, estava com muito tesão, arranhava minhas costas, então ela colocou a mão no botão do meu calção, percebi e já tirei ele ficando só de cueca, tirei o shorts dela com calcinha e tudo.

Ela meio que deu uma “travadinha”, mas eu logo comecei beija ela de novo e comecei passa a mão na bucetinha lisinha dela (coisa mais linda, rosinha, pequenininha) era a hora de come aquela novinha, eu abri as pernas dela e fui entrando no meio, ela olhava babando pro meu pau.

A uma altura dessa ela nem lembrava que tinha namorado. Coloquei a cabecinha na entrada daquela bucetinha e ela só esperando pra ver oque ia acontecer… fui penetrando aos poucos ela fazia uma carinha de dor e de tesão ao mesmo tempo,

Passou uns 20 min, já tinha limpado o filete de sangue que saiu e ela já estava com a minha pica todinha enterrada na bucetinha dela, foi só passar um pouquinho a dor e a safadinha já começava mexer o quadril facilitando as estocadas… nunca esqueço quando coloquei ela de quatro no sofá e eu fique em pé atrás dela, eu segurei nos cabelos dela e comecei puxa e ao mesmo tempo come ela… mano que delicia de novinha, transamos até umas 21h. eu queria goza na boquinha dela, mas sabe como é essas novinhas no começo ne kkk deixou não, mas fiz ela toca uma punhetinha já quando estava gozando. Tomamos um banho e levei ela pra casa dela dizendo que a aula tinha ido até o intervalo só.

Claro! Comi ela mais um monte de vez, (vou escrever um outro conto que eu como ela quando ela estava noiva de outro cara. Aguardem…) logo depois (uns 20 dias) ela terminou de vez com o namoradinho, o trouxa não conseguia come ela e ficava dando encima das outras.

Gostou??? Tenho muitas outras histórias, traição, novinhas, coroas… chama lá no
E-mail: [email protected]