Crush Secreto

Dezembro chegou, e com ele todas as mesmas tradições de final de ano, as lojas ganham decoração Natalina, as pessoas já planejam onde vão passar o final do ano, más se tem algo mais certo do que o Natal chegar, é você ser convidado para participar de algum amigo secreto. É tanta variedade de amigo secreto que hoje em dia tem, amigo caneca, amigo havaianas, amigo da onça, ARGH, socorro. Pois esse ano não consegui escapar, de novo o meu setor decidiu fazer uma confraternização e celebrar com o famoso amigo secreto.

– E aí Nina, já comprou o presente do seu amigo secreto? – Minha colega ao lado me perguntava.

– Não Joice, e você? – Respondia super desanimada sem nem tirar os olhos da tela do meu computador.

– Eu já, aí estou tão animada, mal posso esperar para ver a reação do meu amigo secreto…

A voz da minha amiga sumia ao fundo, eu só queria estar morta, eu havia tirado a pessoa que eu menos gostava daquele escritório. O cara de direita com piadas machistas e repleto de masculinidade tóxica, minha ideia de presente seria uma camiseta escrita, CUIDADO TÓXICO. Eu queria mesmo era ter tirado a Vanessa, ai a Vanessa, só de olhar ela a sala fica em câmera lenta, Vanessa era do departamento financeiro, tão linda e estilosa, nunca conheci ninguém tão linda como ela, ela tinha um sorriso tão meigo e genuíno.

– NIIINA – Joice estalava os dedos na frente do meu rosto me convidando a voltar a realidade. – Sonhando de novo Nina, poxa, quando é que você vai convidar ela para sair?

– Ai Joice, um dia, ano que vem talvez. Ela acabou de terminar um namoro.

– Isso faz meses já, se você esperar demais, outra menina pode passar na sua frente. Fica a dica.

– Tah, obrigada.

Ao final do dia fui encher a minha garrafinha de água no bebedouro e escutei a voz angelical de Vanessa.

– Oi Nina.

Quase derramei minha garrafinha.

– VAN… oi?

– Te assustei? – Não, eu que sou desastrada mesmo. Ansiosa para o final de semana?

– Muito, adoro amigo secreto. – Ela sorria

– Gostou de quem você tirou então?

– MUITO. E você? – Eu também – menti.

Aquele seria um momento perfeito para puxar assunto com ela, convidar ela para ir no cinema, más minha timidez é meu maior defeito. Assim que comecei a sentir meu rosto corando arranjei uma desculpa para sair.

– Bom, preciso terminar umas planilhas. A gente se vê amanhã então né?

– Sim, não esquece, todo mundo de camiseta vermelha e gorrinho para tirar uma foto natalina.

Fiz um joinha e voltei para minha mesa com o coração acelerado

*

Amanheceu e o tal dia da festa chegou, coloquei meus shorts jeans, uma camiseta vermelha, um all star e fui. Dirigi até o sítio, peguei Joice no caminho para dar carona e chegando lá já se ouvia a risada de todos, o barulho de crianças pulando na piscina e som alto tocando. A casa do meu chefe tinha uma sala linda e no centro uma árvore de natal gigantesca muito bem enfeitada, deixamos nossos presentes na arvore e fomos aproveitar o churrasco.

Foi bem divertido, eu queria revirar os olhos dando longos goles na minha cerveja a cada momento que Rodrigo, o machão tóxico que tirei contava vantagem em uma de suas histórias claramente inventadas.

– Olha a Vanessa chegou. – Joice me cutucou

E lá vinha a minha musa, linda como sempre, em um vestido vermelho, toda arrumada e um gorrinho vermelho de Natal, era como se o presente que eu mais quisesse viesse andando até mim. A tarde passou e Vanessa conversava comigo e Joice sobre besteiras, clientes chatos, expectativas para o final do ano, más um dos melhores momentos foi quando Joice perguntou quais as expectativas ela queria e ela respondeu olhando para mim.

– Uma nova namorada. Ai gente, todos esses meses sozinha, é um saco. Gosto de estar namorando, hoje em dia as pessoas têm medo de se relacionarem, sabe? Acho um saco isso.

– Elas também têm medo de chegarem nas pessoas que gostam, né Nina?!

Arregalei os olhos para Joice. Dei um sorriso amarelo e desconversei.

– Iii, olha lá, já estão chamando a gente para começar a brincadeira.

A brincadeira começava com charadas que dessem dica de quem era o seu amigo secreto, o meu foi bem fácil, simplesmente falei que meu amigo só falava de mulher e reclamava de política o dia inteiro, o nome Rodrigo foi unânime, dei uma camiseta do time de futebol que ele gosta, ele tirou a Joice, Joice tirou a Vanessa e agora foi a vez de Vanessa dar a charada para o amigo secreto dela.

– Olha, meu amigo secreto é uma pessoa muito especial para mim, é uma pessoa linda e charmosa, um pouco tímida, más que eu gosto bastante, devo admitir que tenho um puta crush nela.

Joice imediatamente gritou enquanto algumas pessoas se perguntavam e davam palpites.

– É A NINA!!!

– ACERTOOOUUU!!! – ela gritava.

Eu em choque apenas levantei e fui receber meu presente e ela me deu um longo abraço e um beijo no rosto. Abri meu presente e era um perfume de marca, muito bom por sinal, que eu já estava de olho faz um tempo. Eu fiquei bem confusa, aquilo estava realmente acontecendo? A mulher dos meus sonhos disse que tinha um crush em mim na frente de geral?

– Eu espero que agora você pare de fazer cú doce e tome atitude.

Joice dizia entre os dentes enquanto sorriamos para a foto natalina da empresa. Todos de chapeuzinho em frente a arvore como tradição. Vanessa estava ao meu lado, e suas mãos tocavam a minha cintura.

Após a foto, cheguei em Vanessa e puxei assunto.

– Eu amei o meu presente.

– Fico feliz, eu amei ter tirado você, queria que o presente fosse especial, por isso, fui falar com a Joice sobre o que você gosta, digamos que ela incluiu objetos e pessoas nas sugestões.

– AAHHH – Fiquei muda, ela estava investindo porque Joice contou que eu gostava dela. – Aquela safada, fofoqueira.

– Não brigue com ela, na real, ela já sabia do meu interesse por você, e por isso decidiu dar uma forcinha.

Vanessa deu uma olhada ao redor e com um sorriso no rosto disse.

– Quer ir para o andar de cima, conheço um quarto vago onde podemos conversar sem olhares.

Acenei e logo mais peguei minha cerveja e a segui. Chegamos a um quarto, provavelmente o quarto que o chefe usava para visitas, muito bem decorado por sinal, com cama para casal. Sentamos na cama e comecei a falar.

– Cara, mil desculpas, realmente minha timidez é um bloqueio, na minha cabeça eu criava mil promessas e ocasiões para poder falar com você, más nunca tomava coragem.

– Shhh… – Vanessa cobria meus lábios. – Sua timidez não é um defeito, é um charme. – E então Vanessa se inclinava para me beijar.

Meu coração agora disparava, más agora seria um momento que minha timidez não iria me vencer, eu agora seria a mulher dominante que sempre me imaginei ser.

Puxei o pescoço de Vanessa para um beijo quente e apaixonante, nossos lábios se encontraram e na minha cabeça eu só conseguia imaginar fogos de artifício, sua pele macia roçava na minha, e seu perfume se impregnava em mim, nossos lábios se abriam para que nossas línguas se entrelaçassem e dançassem. Vanessa tinha o gosto de cerejas e eu queria beijá-la cada vez mais, más a cada mais tempo que nos beijávamos, mais nossas respirações ficavam ofegantes e nossos corpos quentes, não sei o que passou pela minha cabeça, más agarrei o seio dela por cima do vestido com uma mão e com a outra agarrei a sua bunda, talvez eu não estivesse pensando, más só seguindo meu instinto, e meu instinto era devora-la. E meus movimentos parecem que atiçaram ainda mais Vanessa, ela imediatamente pulou no meu colo e abaixou as alças do seu vestido para baixo e puxou seu vestido revelando aqueles lindos seios para fora. Ela me abraçou pelo pescoço e os esfregava em meu rosto, me convidando a mama-los. Enquanto eu fazia isso eu coloquei minha mão por baixo do vestido dela e explorava a sua bucetinha. Vanessa agora gemia baixinho e bem ofegante, ela se roçava em minha mão, puxei a calcinha dela para o lado, eu esfregava o clitóris dela e busquei pela entrada da vagina dela, ela estava tão meladinha e quente.

– Me chupa Nina, me chupa. – ela implorava.

Como sonhei e esperei por essas palavras. A peguei no colo e a coloquei na cama, e puxei toda a sua roupa para baixo, ela agora estava completamente nua para mim, seu corpo era maravilhoso, como sempre imaginei. Ela me olhava, completamente corada de desejo, me ajoelhei em frente a cama e coloquei suas pernas sobre os meus ombros e comecei a chupa-la.

Vanessa se agarrou aos lençóis e arqueava suas costas contra a cama. Que bocetinha gostosa e quente, eu chupava aquela vulva maravilhosa e brincava com o grelinho dela, e ela se contorcia de prazer, ela agarrava meus cabelos e me puxava contra ela, me esfregando nela. E eu trabalhava nela, deixava ela bem babada, a assoprava, dava leves tapinhas nela e fazia movimentos circulares no clitóris dela. Ela estava completamente entregue ao prazer, e eu era a dona desse prazer. Vanessa se desfez do meu oral, se levantou e veio doida para cima de mim. Me puxou a camisa por cima dos ombros, tirou meu sutiã e me deu uma rápida mamada nos seios, más logo me empurrou para a cama, arrancou minha bermuda e calcinha para baixo, com sapato e tudo. Ela estava vermelha, ofegante, suada, parecia um animal, eu ia falar alguma coisa, más como uma fera ela caiu de boca na minha boceta, e eu tapei um grito de prazer com minhas duas mãos.

O que era aquilo? Aquela sensação de tesão percorrendo todo meu corpo? Será que era aquilo o que Vanessa estava sentindo o tempo todo? Vanessa me dedava com o indicador e estimulava o meu ponto G, enquanto me intercalava entre chupada, linguada, massagem com mãos e tapinhas. Vanessa parecia amar uma boceta como ninguém, ela afundava o rosto em mim como se quisesse me engolir.

– Vanessa, vai com calma… assim eu vou gozar.

– Pois gozaremos juntas.

Vanessa se levantou e se deitou na cama, ficou oposta a mim e me posicionou com nossas pernas se cruzando, na tradicional posição tesourinha, com nossas bocetas se roçando. Que delícia, ver a mulher dos meus sonhos ali, se roçando em mim. Nossas bocetas já estavam tão molhadas e estávamos tão excitadas que estávamos prestes a gozar. Vi pelo olhar de Vanessa que ela ia explodir, ela fechou os olhos e se curvava para trás intensificando nossas tesourinhas e eu vendo isso tive uma reação instantânea e também comecei a gozar, senti a eletricidade percorrer meu corpo e cada parte de mim ficar mole

– AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHH !!!

Ambas gozavamos, uma em cima da outra, nossas bocetas molhadinhas, uma colada na outra. Nesse exato momento nossos sentidos voltaram a reparar ao redor e alguém iniciava o Karaoké. Alguém estava prestes a cantar All I Want For Christmas is You da Mariah Carey, riamos.

– Ah nããoo, precisamos descer e ver isso de perto. – Vanessa dizia

– Eu poderia ficar aqui para sempre te admirando. – Respondi.

Vanessa pegou seu gorrinho de Natal que estava perdido pela cama e o colocou por cima de seus cabelos todo bagunçados.

– Ah é? E como estou?

– Linda, é o melhor presente que já ganhei de Natal.

– Sua fofa. Assim fico vermelha.

– Quero te presentear também. Topa ir no cinema comigo hoje? – Finalmente eu havia tomado coragem para perguntar.

– Adoraria.

Vanessa deitava sobre mim para me dar um selinho.

– Más agora realmente precisamos descer. – Ela dizia

Concordei. Nos arrumamos e cobrimos todos os vestígios da nossa foda pelo quarto.

E esse provavelmente seja o melhor amigo secreto que já tive, ganhei um perfume, uma bela foda, e aparentemente uma nova namorada.

Obrigada papai Noel, Obrigada 2019