Meu tio fode gostoso

Meu nome é Fernanda  tenho 19 anos, sou morena clara, tenho 50 kg distribuidos perfeitamente em 1,60 de puro tesão, sou muito simpática e gosto de conversar com todos sem exceção. Numa certa manhã acordei e logo avistei meu cachorro tristinho vendo ele naquele estado levantei rapidamente e tentei dar comida á ele mas ele não comia, sismada com o que poderia estar ocorrendo com meu animal de estimação liguei em uma clínica veterinária e agendei uma consulta, a consulta foi marcada para ás 6 horas da tarde e nisso já se passava das meio dia então fui fazer meus afazeres e terminei as 5 horas e prontamente fui tomar um banho e me arrumar, terminando isso peguei o Fred e seguimos em direção a clínica, chegamos as 6 horas em pontinho, com isso só tinha meu cachorro pra ser atendido porque a clínica fechava as 6:30. Sentei com Fred até o veterinário vir chamar, peguei uma revista e fiquei folheando, não demorou 10 minutos e avistei um homem forte, de cabelos negros e pele clara e muito sorridente por sinal, então ouvi ele dizer “Fred?” ai levantei da cadeira e segui em sua direção, parei na sua frente e disse – Olá doutor, sou a dona de Fred. e ele com aquele jeito meigo e safado de ser me mandou entrar, em seguida fechando a porta e ficando só nós em seu consultório, ele pegou o Fred do meu colo e começou a examina-lo e logo me chamou pra ajudar a segurar o animal, como eu não sabia como segura-lo pedi que me orientasse e assim foi feito, ele veio por trás de mim e segurou minhas mãos colocando nos pontos certos que deveria segurar, nisso fui um pouco pra trás e precionei a bunda em seu pênis encaixando-o perfeimente no meio da minha bunda e logo senti que o membro do meu doutorzinho estava ficando duro então rebolei com força pra ele sentir que eu estava interessada, com isso o doutor saiu de trás de mim e foi para fora e demorou um pouco pra voltar então deixei Fred na maca e fui até a porta que estava semi-aberta e ouvi o doutor falando para sua secretária – Luana, pode ir embora vou demorar com esse paciente pelo fato dele estar muito mal, deixe a chave encima da mesa que eu fecho tudo e amanhã abro a clínica cedo. Ao terminar de falar o doutor estava vindo em direção a porta, corri para a maca e segurei o Fred, o doutor entra na salae tranca a porta e vem por trás de mim e dá um beijo no meu pescoço e sussurra: – Agora estamos sozinhos aqui, deixa eu cuidar de você minha cachorra. ao ouvir isso me tremi todinha e gemi baixinho concordando com o que ele tinha falado, levei a mão até seu membro e apertei com vontade, me afastei e sentei na maca de pernas abertas passei o dedo na minha buceta e lambi, chamei ele com o dedinho, puxei meu doutor pra perto de mim, entrelacei minhas pernas em sua cintura e lasquei um beijo de língua, desci as mãos até sua bunda e apertei com força, ele por sua vez subiu uma das mãos pelas minhas costas e segurou meu cabelo, me fazendo arrepiar, abri mais as pernas e ele me puchou pra mais perto me fazendo sentir seu pau duro e grosso, eu rebolei fazendo minha buceta encostar na cabeça do seu pau por cima da calcinha, ele parou o beijo e foi descendo passando a língua até chegar no meu pescoço, deu um chupão e começou a tirar minha blusa, desabotuou meu sutiã e teve a visão de meus seios com os bicos durinhos e rosadinhos e não resistiu e caiu de boca, chupando-os e mordendo-os, ele sugava meus seios como se estivesse mamando uma mamadeira, chupava sem parar e me levava ao delirio, eu empurrava sua cabeça o fazendo engolir mais e mais os bicos dos meus seios, gemi no seu ouvido – Me fode, doutor, me fode, enfia essa piroca na minha bucetinha. com isso ele ficou louco de tesão tirou rapidamente sua calça e levantou minha saia colocando minha calcinha de lado, cuspiu em seu pau passou a língua em minha buceta e enfio seu caralho com toda força, gritei ao sentir a primeira estocada, entrelacei meus braços em seu pescoço e ele me pegou no colo e fazia vai e vem com seu pau dentro da minha buceta, mordi meus labios e passei o bico dos meus seios em seu toráx, puxei seu cabelo pra trás e meti um beijo sem fôlego, brincava com sua língua, mordia chupava enquanto era fudida deliciosamente por aquele caralho gigante e grosso, rebolava e ele me desceu de seu colo e me colocou de quatro na maca, cuspiu no dedo e passou no meu cu deixando-o mais lubrificado, eu gemi baixinho – Passa a língua no meu cu, vai doutor. ele abriu a minha bunda e enfiou sua língua quente e molhadinha no meu cu fazendo vai e vem, eu gemia feito uma cadela no cíu, após uns 5 minutos de linguadinha no meu cu ele passou a cabeça da sua piroca na entradinha do meu cu, me fazendo morder os lábios de tesão, abri as pernas o máximo que eu pude e ele socou com tudo no meu cuzinho, vi estrelas na hora mas depois relaxei e comecei a rebolar gostoso naquela piroca grande.a cada estocada que ele dava eu

gemia feito louca, ele puxava meu cabelo e socava mais forte, ele chegou pertinho do meu ouvido e gemeu com aquela voz rouca e gostosa – Vo te deixar de perna bamba, sua vadia. ao ouvir aquilo rebolei mais rapido e gemi seu nome – VAAAAAAAAAAAAAAAAAAAI DOUTOR, ME COME. SEU GOSTOSO! ficamos naquele vai e vem até que senti as veias do pau do meu doutor pulsarem e sabia que meu orgasmo já estava por vir então pedi ao doutor que gozasse na minha boca, ele tirou o pau do meu cu, eu ajoelhei na sua frente e comecei a chupar aquele mastro lindo e cabeçudo, passava a língua em toda a extensão do seu pênis, chupava e mordia, desci a língua até as bolas e arranhava suas pernas com as unhas, ele segurou minha cabeça e me empurrava contra seu pênis, chupei até sentir que ele estava pra gozar e foi dito e feito logo senti aquele jato de porra quentinha na minha boca, engoli tudinho e passei a língua no pau do meu doutor pra tirar o restinho de porra que sobrou, como eu não tinha gozado ainda ele me colocou encima da maca de pernas abertas e começou a passar a língua na minha virilha e socou 2 dedos na minha bucetinha, ele tirou dos 2 dedos e começou a me chupar, enfiar a língua, chupava meu grelinho e eu o empurrava contra minha buceta, ele enfio com toda a força aquela língua gostosa que não deu em outra gozei bem gozado em sua boca, e ele por sua vez chupou todinho meu mél. Eu falei: – E o Fred, doutor? ele sorrio e falou: Vamos cuidar desse garotão agora mesmo! Nos vestimos, ele examinou o Fred, prescreveu o remédio que eu teria que comprar pro Fred, e abriu a porta eu peguei o Fred e saimos, antes de sair do consultório o doutor falou: – Qualquer coisa que precisar, estarei aqui.. volte mais vezes! eu dei uma piscada, sai rebolando com aquele rabo enorme e fechei a porta.

(Por Morenna)